Marco Silva, uma promessa e um aviso ao Fulham para 2022/23: "Há coisas que não se podem repetir"

Marco Silva, uma promessa e um aviso ao Fulham para 2022/23: "Há coisas que não se podem repetir"
Redação

Técnico quer a estabilização dos "cottagers" na I Liga inglesa

Recém-promovido à Premier League, transportando o título de campeão do secundário Championship, o objetivo do Fulham orientado por Marco Silva, dada a circunstância, é a permanência na elite - e pôr fim a uma série de cinco anos do emblema dos "cottagers" a alternar entre os dois principais escalões do futebol inglês.

Marco Silva tem-no presente na consciência e, por isso, lança um alerta, e um pedido de muito trabalho, à navegação para alcançar a desejada estabilidade. "Sabemos o que aconteceu há dois anos e há quatro anos. Há algumas coisas que não podemos repetir se quisermos ser bem sucedidos novamente. (...) Temos de trabalhar arduamente, tomar algumas medidas positivas, mas não podemos repetir algumas coisas que foram feitas", elucidou Marco Silva, em entrevista ao portal "The Athletic".

O técnico aludiu, desta forma, às despromoções sofridas pelo Fulham, em 2018/19 e em 2020/21, ao segundo escalão inglês, com épocas de permeio na Premier League - os "cottagers" tombaram sempre após as últimas subidas de escalão.

Embalado até ao topo do futebol britânico por força de 27 vitórias (e nove empates) em 46 jogos e, sobretudo, da veia goleadora da equipa (106 golos), sinóminos de futebol ofensivo, pois claro, Marco Silva garante uma inalterável mentalidade em 22/23.

"A nossa filosofia não vai mudar [na Premier League]", esclareceu, de pronto, o técnico, como que numa promessa de buscar, ininterruptamente, o triunfo em cada relvado, admitindo que o reforço do plantel influenciará o fixar da fasquia. "O que fizermos no mercado terá um grande impacto. Não vou esconder isso. É importante que todos saibam isso", advertiu Marco Silva, na entrevista ao portal "The Athletic".

O técnico, que alcançou o quarto título da carreira com os "cottagers" e regressou, tal como o clube, à Premier League, após passagens por Watford e por Hull City, garantiu, por fim, ser "claro" querer manter-se no Fulham, ao qual se vinculou até 2024.