Jorge Jesus diz que quer voltar ao Flamengo e coloca prazo para receber proposta

Jorge Jesus diz que quer voltar ao Flamengo e coloca prazo para receber proposta
Redação

Em entrevista ao jornal UOL Esporte, Jorge Jesus admitiu que quer voltar a ser treinador do Flamengo.

O português Jorge Jesus afirmou que quer voltar a orientar o Flamengo e disse, inclusive, que vai esperar até ao dia 20 de maio para receber uma proposta do clube brasileiro. Depois disso, tem que decidir o que fazer, diz.

"Quero voltar, sim. Mas não depende só de mim. Posso esperar até, pelo menos, ao dia 20. Depois disso, tenho que decidir a minha vida", disse o treinador em entrevista ao UOL Esporte.

Jorge Jesus está sem clube desde que deixou o Benfica. Neste momento, está no Brasil a passar alguns dias de férias.

O técnico do Mengão, recorde-se, é o também português Paulo Sousa.

"Esta equipa ainda mexe comigo. Incomoda-me vê-la em dificuldades. Tenho a certeza que se eu tivesse continuado, teríamos conseguido uma longa hegemonia aqui. Estávamos bem à frente dos adversários", disse também.

Mas então porque resolveu sair do Brasil para ir treinar o Benfica? O treinador respondeu: "A pandemia afetou-me muito. Foi algo absolutamente inesperado e devastador. Fiquei completamente só. Um funcionário do clube deixava a comida na porta do meu apartamento e saía a correr... Era muito difícil. Por isso, quando surgiu o convite do presidente do Benfica, um velho amigo, aquela pareceu-me a melhor opção. Inclusive para voltar a viver perto da minha família."

Jorge Jesus afirmou que não houve qualquer proposta formal por parte do clube carioca, em dezembro de 2021.

"Não. A conversa foi superficial e em momento algum fizeram-me um convite ou, pelo menos, perguntaram-me se eu queria voltar. E aquele era um momento difícil, pois se eu pedisse a demissão do Benfica, teria que pagar uma multa de 10 milhões de euros. Por isso, tinha sugerido que só viajassem para Portugal no final de janeiro, quando a situação seria mais fácil para negociar. Mas quiseram ir em dezembro e a sensação que tenho é que, quando me visitaram, já tinham tomado a decisão de contratar o Paulo Sousa. Foram apenas cumprir uma obrigação social comigo", atirou.

"O Marcos Braz e o Bruno Spindel foram ver um jogo do Benfica no camarote do FC Porto, deram várias entrevistas, criaram uma balbúrdia desnecessária... Se me quisessem mesmo, teriam ido em janeiro, como sugeri, e poderíamos ter acertado contrato", acrescentou.