"É um orgulho treinar o Deportivo"

"É um orgulho treinar o Deportivo"

Treinador foi apresentado e pede a união de toda a equipa, rejeitando um "clã de portugueses". Já o presidente disse que quis Domingos como jogador.

Domingos Paciência foi apresentado como treinador do Deportivo. O treinador português mostra confiança na permanência e pede a união de todo o grupo. "É um orgulho treinar esta equipa. Venho com muita vontade para conseguir o objetivo da permanência", declarou, definindo-se como um treinador que gosta de ver a equipa "jogar bem para ganhar jogos".

"Precisamos de equilíbrio. Que a equipa saiba quando tem que atacar e defender", continuou Domingos, que aproveitou para garantir que "não haverá clã de portugueses" e que "para a salvação é necessário o compromisso de todos". Até Jorge Mendes veio à baila, mas Domingos nega que a contratação esteja ligada com o empresário português. "Tem algum papel de Mendes assinado comigo? Não. Está enganado. Eu fui jogador de futebol e a última equipa que treinei tinha mais de 10 nacionalidades. Para mim é indiferente que seja português ou não. Não gosto de injustiças. Para mim a nacionalidade é indiferente", vincou Domingos.

O presidente Augusto César Lendoiro também falou. "É uma alegria que esteja aqui porque já o quisemos como jogador, mas o Tenerife antecipou-se. Desejamos-lhe toda a sorte. Estamos convencidos que de nos salvaremos", disse.