"Jorge Jesus conseguiu fazer no Flamengo o que muitos outros não estão a conseguir"

"Jorge Jesus conseguiu fazer no Flamengo o que muitos outros não estão a conseguir"
Redação

Ex-timoneiro do Athletico Paranaense salientou a obra feita do homólogo "num curto espaço de tempo" e o desenvolvimento coletivo do então talento existente no Mengão

Jesus deixou, em 2019, marca bem gravada na história do Flamengo, ao erguer a Libertadores e o Brasileirão, pelo que essa façanha foi tema num programa da ESPN sobre "sucesso de portugueses" no Brasil. Convidado a destrinçar a base do êxito do atual técnico do Benfica, António Oliveira, além de notar a rapidez, cingiu-se a um valor.

"Claramente competência. Não tenho outra palavra para classificar o trabalho de grande qualidade que Jorge Jesus fez no Brasil num tão curto espaço de tempo. Acima de tudo, isso é uma grande valência dele, a de conseguir identificar o que é o futebol brasileiro", afirmou o ex-treinador do Athletico Paranaense.

Conhecedor, ainda que menos profundo, do futebol canarinho, António Oliveira elegeu o Brasil como o maior viveiro mundial de qualidade individual, denotando que o trabalho principal de um treinador no país é, sobretudo, desenvolver o coletivo.

"Se existe talento no futebol sobre o ponto de vista individual, é aqui no Brasil. O que nos compete, como treinadores, é congregar esse conjunto de indivíduos talentosos numa organização muito forte", assinalou, também, o jovem treinador.

Essa congregação, considera, foi conseguida na plenitude por Jesus, o que lhe valeu a atribuição de estatuto quase singular. "Foi claramente o que Jesus fez [no Flamengo]. Conseguiu fazer o que muitos outros não estão a conseguir. Não pensemos que todos são Jorge Jesus", vincou Oliveira.

Jesus, ao conquistar a Libertadores, tornou-se o segundo técnico europeu a fazê-lo, sendo, inclusive, o primeiro português, entretanto sucedido por Abel Ferreira.