Edenilson mantém versão sobre insultos racistas de Rafael Ramos

Edenilson mantém versão sobre insultos racistas de Rafael Ramos
Redação

Jogador do internacional espera "que não o julguem" e gostava que Rafael Ramos "assumisse o erro".

Edenilson, médio do Internacional que no sábado acusou Rafael Ramos de insultos racistas durante o jogo com o Corinthians, falou pela primeira vez sobre o assunto, mantendo a versão dos factos.

Na conferência de imprensa depois do jogo com o Independendiente Medellín, para a Taça Sul-Americana, o médio, que marcou os dois golos do triunfo por 2-0, garantiu que o defesa português do Corinthians o insultou.

"Fui bastante julgado, chamaram-me mentiroso, surdo. É bem complicado quando os factos são distorcidos. As imagens estão ali para serem analisadas. A única coisa que espero é que não me julguem. Não quis dar nenhuma entrevista para respeitar a carreira do rapaz, mas não entendi os insultos", começou por afirmar o jogador do Internacional.

"Gostava de ouvir um pedido de desculpas, que Rafael Ramos assumisse o erro. Sou pai de família e tenho a certeza que ele [Rafael] tem família noutro país. É assim que eu sou, tento ver bondade, não quis julgar ou expor. Apenas quero que a verdade venha ao de cima. Eu e ele sabemos o que aconteceu e o que me disse. Foi o que aconteceu e o que ouvi. Quero que as autoridades resolvam. Não quero fazer-me de vítima. Tenho a certeza do que ouvi e isso não muda, jamais poderá ser apagado", acrescentou, deixando uma garantia: "Muito orgulho da minha cor e de todas as cores, somos todos iguais. A diferença é a cor da pele. Tenho orgulho da minha educação. Até peço desculpas por ser leigo nesse assunto, nunca me interessei como poderia e deveria", considerou.

Rafael Ramos foi detido por alegados insultos racistas ao jogador do Internacional, tendo sido libertado depois do pagamento da ​​​​​​​finaça, estando agora o caso sujeito a uma perícia de leitura labial para analisar os insultos proferidos ao médio.