Dalot é primeira escolha no United e ingleses tentaram explicar porquê

Dalot é primeira escolha no United e ingleses tentaram explicar porquê
Redação

Internacional português cada vez mais imprescindível para Ralf Rangnick, depois de pouco mais de três anos sem conseguir afirmar-se

Diogo Dalot é, cada vez, mais um titular do Manchester United. Depois de várias épocas na sombra, com pouca ou inconstante utilização e até um empréstimo ao Milan, o lateral português vai convencendo em Old Trafford e a imprensa analisou o porquê.

O jornal The Athletic lembrou o início complicado, apesar das palavras de Mourinho, que comparou o jovem jogador a Gary Neville, um dos laterais mais importantes da história do Manchester United. "Ele pode ser o lateral nos próximos 10 anos", referia, na altura, em 2018, o técnico português.

Depois, entre pouca utilização, chegou Wan-Bissaka, um jogador que custou 55 milhões e que tinha, no entender dos red devils, uma maior capacidade defensiva. Até Solskjær sair, o antigo jogador do Palace foi dono e senhor da posição, levando mesmo ao empréstimo de Dalot ao Milan, na época transata.

Mesmo com a experiência numa equipa importante, só a chegada de Rangnick deu protagonismo ao internacional português, titular em seis dos oito jogos de campeonato desde que o novo técnico assumiu o comando. Para além da confiança a partir do banco, uma lesão acabou por atirar o concorrente para fora dos relvados.