"Conheço quem me agrediu, um jovem com vinte e poucos anos", diz Jorge Jesus

"Conheço quem me agrediu, um jovem com vinte e poucos anos", diz Jorge Jesus

O treinador português do Al Hilal, entrevistado pela Sport TV, fala de Bruno de Carvalho, Frederico Varandas e ainda de aulas de comunicação no Benfica

Ainda Alcochete: "Eu estava no lugar no errado. Acho que com uma palavra minha eles não teriam feito aquilo. O problema é como que entraram com aquela facilidade. Se eu soubesse, nada daquilo acontecia, acho que me iam ouvir. Não acontecia aquilo. [...] Conheço aquele que me agrediu, um jovem com vinte e poucos anos"

Sobre Bruno Carvalho: "Não gosto de falar de presidentes. Nunca tive uma palavra contra Vieira, também não vou dizer nada contra Bruno Carvalho. Sei os episódios que passei com ele, especialmente quando ele quis que a equipa B jogasse contra o Paços de Ferreira. Ele se quiser que conte."

Sobre Frederico Varandas: "Sou tendencioso. Confidenciei muitas vezes com ele. Tem experiência a trabalhar com plantéis. É o homem certo no lugar certo"

Sobre o Benfica: "Tive aulas de comunicação no Benfica, como comunicas, como olhas. [...] Quem está no Benfica está sempre no centro do furacão [...] Tive grandes momentos no Benfica e grandes tristezas como foi perder duas finais da Liga Europa, mas também ganhei tudo o que havia para ganhar em Portugal, coisa que nenhum treinador português, ou estrangeiro, conseguiu."

A opção pelo Sporting: "Na altura, nunca pensei treinar o Sporting. Ao fim de um mês quis ir embora. Foi uma dificuldade para contratar um jogador de 3,5 milhões de euros, o Téo Gutierrez. No Sporting, os jogadores ganhavam menos de metade dos salários que se pagavam no Benfica. Os jogadores começaram a ter resultados e o Sportiing começou a ter possibilidades de pagar igual"