António Oliveira, treinador do Athletico, responde às críticas: "Pensam que é Playstation"

António Oliveira, treinador do Athletico, responde às críticas: "Pensam que é Playstation"
Redação

As declarações de António Oliveira, treinador do Athletico Paranaense, após a vitória diante do Internacional (2-1), este domingo, num encontro da 13.ª jornada do campeonato brasileiro. A equipa regressou aos triunfos na prova após três jogos e o técnico português respondeu às críticas.

Jogadores não são máquinas: "Enganam-se as pessoas que pensam que jogamos sozinhos. Jogámos com um adversário que estava na Libertadores, vice-campeão brasileiro, e fizemos um grande jogo. Nenhuma equipa do mundo consegue atacar durante os 90 minutos. Os jogadores não são máquinas. A densidade competitiva é enorme para uma equipa que está inserida em todas as competições."

Queda no segundo tempo: "Não se repetiu com a mesma constância e consistência do primeiro tempo. Mas o ​​​​​​​Athletico na segunda parte teve oportunidades. Tirado a bola na trave, a do Edenilson e o penálti, o adversário pouco feriu-nos. Somos muito equilibrados nas duas fases (ataque e defesa). As pessoas eventualmente pensam que é Playstation, que não há adversário".

Exigência: "A exigência é cada vez maior, porque os adversários preparam-se cada vez mais para os jogos contra o Athletico. Se pudermos jogar bem, ótimo. Se pudermos marcar dez golos, ficamos felizes da vida. Mas a nossa premissa é sempre a vitória"