"Paulo Fonseca mudou a minha vida. Parece patético, mas é verdade"

Josué e Paulo Fonseca no Paços de Ferreira

 foto Ricardo Junior / Global Imagens

Médio português do Légia Varsóvia, Josué, em longa entrevista concedida ao clube polaco.

Josué, em longa entrevista concedida ao canal oficial do Légia Varsóvia, clube polaco para onde se transferiu esta temporada, falou sobre a enorme importância do treinador Paulo Fonseca, com quem trabalhou em Paços de Ferreira e FC Porto, na sua carreira.

"Definitivamente, antes e depois de o conhecer, sou uma pessoa completamente diferente. Falei disso recentemente com o nosso treinador de guarda-redes, Ricardo Ferreira", começou por dizer o médio português.

"Eu tive muitos problemas no Paços de Ferreira, até ao dia em que Paulo Fonseca chegou à minha beira e disse: "ouve, nós vamos jogar no fim de semana, eu vou pôr-te a jogar, mas até lá tens de fazer isto e isto, e mencionou algumas coisas aparentemente pequenas". Eu disse: "ok, eu faço". Mas durante o treino não lhe mostrei mais do que o meu mínimo. Ele voltou a falar comigo e perguntou novamente se eu queria jogar. Eu disse que queria, mas com o atrevimento que tinha na altura, respondi: "se me querem na equipa, tudo bem, se não, é difícil". Também pesava uns quilos a mais, então não me importava muito com a alimentação e um estilo de vida saudável", continuou, antes de revelar as palavras que mudaram completamente a sua vida.

"Um rapaz arrogante e que parecia não se importar, é o que eu era. Mesmo assim, Paulo Fonseca aproximou-se de mim com muita calma e disse-me as palavras que vou recordar para sempre: Queres desistir? Faz isso. Mas eu acredito em ti, não vou desistir de ti e não te vou deixar ir. E quando ouvi "Eu acredito em ti", foi como se um botão no meu cérebro tivesse sido pressionado. Percebi que nunca tinha ouvido nada parecido com isso por parte da minha própria família. E a partir do momento em que ele disse essas palavras, mudei completamente. No futebol e em tudo. Paulo Fonseca mudou a minha vida. Parece patético, mas é verdade."