"Fui para uma palestra do Jorge Jesus de auscultadores, estava cansado dele"

.

 foto O JOGO

O avançado Matheus recordou o tempo que passou no Braga e em que foi orientado por Jorge Jesus.

Matheus Leite Nascimento, avançado brasileiro que passou pelo Braga, cruzou-se com Jorge Jesus no emblema arsenalista e a relação com o treinador nem sempre foi a melhor. Numa entrevista à Tribuna Expresso, o atual jogador do Zhejiang FC, da China, revelou que, uma vez, foi para uma palestra de auscultadores.

"Jorge Jesus? Nossa... Esse aí foi... Eu sou um jogador também muito esquentado, eu esquento por qualquer coisa quando vejo que não está certo e ele também é um treinador assim. Particularmente, foi um treinador com quem aprendi muito, não vou mentir, ajudou-me bastante para o meu futebol, mas ele tinha jogadores dele, de mais confiança a quem dava mais oportunidade para jogar. Acabei por jogar pouco com ele. Para o Jorge Jesus eu era como se fosse o 12.º jogador. Ele colocava-me a jogar, mas não jogava a titular. Eu e ele, no dia a dia, não nos dávamos muito bem. Chocávamos muito", admitiu o futebolista de 39 anos.

"Uma vez ele estava a dar uma palestra depois de um jogo. Eu costumava sentar-me na parte de cima, ao lado do Vandinho. E nesse dia fui para a palestra com auscultadores nos ouvidos a escutar música. Ele falava, falava, falava e eu ouvia música. Às tantas, o Vandinho tocou-me e disse: 'Matheus, o treinador está a falar contigo'. Eu respondi: 'Qual treinador? Não há treinador nenhum não, não quero escutar'. Então, o Jorge Jesus chegou perto de mim e disse: 'Ó miúdo, se não queres escutar, sais da sala agora'. E eu respondi: 'A melhor coisa que eu acho que hoje vai acontecer na minha vida é isso'. Eu saí da sala. E nesse momento fui direto ter com o presidente Salvador para dizer que queria ir embora para outro clube. Uma semana ou duas depois o Jorge Jesus acabou por ir para o Benfica", contou Matheus, que diz que "já estava cansado" de Jesus.

"Ele grita muito com os jogadores. Agora já deve ter melhorado bastante, não sei. Mas gritava muito e às vezes não tinha porquê", acrescentou.

Em Portugal, o brasileiro representou também o FC Marco, o Beira-Mar e o V. Setúbal.