Abel Ferreira sobre os treinadores no Brasil: "Quem anda no futebol, ou mata ou morre"

Abel Ferreira sobre os treinadores no Brasil: "Quem anda no futebol, ou mata ou morre"
Reação com Lusa

Tópicos

Abel Ferreira foi apresentado como treinador do Palmeiras e falou sobre as dificuldades que os treinadores sentem nos clubes brasileiros.

O português Abel Ferreira assumiu que aceitou treinar o Palmeiras porque "só estando junto dos melhores" conseguirá conquistar títulos e mostrou-se preparado para enfrentar a pouca margem de manobra que os treinadores têm no futebol brasileiro.

Menos de uma semana depois de ter sido confirmado como novo técnico do Palmeiras, Abel mostrou-se impressionado com a "grandeza e organização" do emblema de São Paulo, com o qual assinou contrato até dezembro de 2022.

"Gosto de seguir os meus instintos, de me desafiar. Tenho de juntar títulos à minha carreira e só estando juntos dos melhores isso será possível. Gosto das cores verde e branca. Pode ser destino, porque foi algo que me acompanhou na minha carreira de jogador", afirmou, na apresentação como treinador do verdão.

O técnico, de 41 anos, deixou os gregos do PAOK para rumar ao Brasil, onde pretende "ajudar os jogadores do Palmeiras a crescerem", sempre com um objetivo em mente: "Quem está no Palmeiras só pode pensar numa coisa: em vencer".

Quando questionado sobre a dificuldade que os treinadores sentem no Brasil, face à volatilidade das direções e dos adeptos, o técnico foi perentório: "Desde que sou treinador profissional, ainda não fui despedido, mas um dia vou ser. É natural. Quem anda no futebol, ou mata ou morre. Vivemos na selva, mas podemos continuar a viver com respeito. As regras são simples: ou ganhar ou ganhar."

"Faz parte das regras. Há clubes com mais paciência do que outros. Sei que dependo dos resultados, dos meus jogadores, da minha forma de jogar, da minha metodologia de trabalho, portanto é nisso que vou gastar toda a minha energia. Prefiro focar-me no que posso controlar. O que não controlo, deixo para os outros", vincou.

Abel Ferreira, que sucede a Vanderlei Luxemburgo no cargo, é o segundo treinador português atualmente no Brasileirão, após a chegada do compatriota Ricardo Sá Pinto ao comando do Vasco da Gama.

A estreia de Abel pelo Palmeiras está agendada para quinta-feira, diante do Red Bull Bragantino, para a Taça do Brasil, seguindo-se precisamente um reencontro com Sá Pinto, num duelo especial para a dupla lusa.

"Deixei de jogar futebol com 29 ou 30 anos, porque tive uma lesão grave no joelho. Na altura, o Sá Pinto convidou-me para ser adjunto dele nos juniores [do Sporting]. Foi ele que me deu a oportunidade de começar a minha carreira de treinador", recordou Abel Ferreira.

O Palmeiras, campeão brasileiro em 2018, é atualmente sétimo colocado no campeonato, com 28 pontos, a sete do Internacional e do Flamengo, que dividem a liderança, e está nos oitavos de final Taça do Brasil e da Taça Libertadores, fase em que vai defrontar o Delfin, do Equador.

Antes de rumar à Grécia, em 2019, Abel Ferreira treinou o Sporting de Braga, treinando a equipa B dos minhotos em 2014/15 e assumindo o comando da formação principal no final de 2016/17.