Abel Ferreira: "Quanto mais pensar na final, mais se esquece o que fazer no jogo"

Abel Ferreira: "Quanto mais pensar na final, mais se esquece o que fazer no jogo"
Redação

Conferência do técnico português, antes da final da Libertadores, diante do Flamengo

Experiência: "A experiência diz o quanto é difícil estar de forma consistente a ganhar. No ano passado, os jogadores contagiaram-me, cheguei por eles à final. E agora foi a vez do treinador contagiar os jogadores para estarmos presentes na final. Falamos em montanha, escalamos a montanha e temos um propósito claro desde o primeiro dia: ganhar a final. Foi o que encaramos em cada etapa da montanha. Estamos aqui por mérito, muito esforço, pela ajuda de muita gente e pelo caráter, a competência e o acreditar dos nossos jogadores - disse."

Estado de espírito: "Agora sinto-me calmo, tranquilo. Eu e os meus jogadores temos a certeza do que fazer. É preciso desfrutar da final com responsabilidade. Quantos não gostariam de estar no meu lugar, no lugar do Felipe Melo. O privilégio de estar neste templo... temos de desfrutar, impor o nosso jogo. É difícil para nós e para os nossos rivais. É ter calma, tranquilidade, a certeza do que fazer em campo."

Rival: "Apesar de já não ganhar há mais de quatro anos (ao Flamengo) temos uma oportunidade de fazer isso amanhã. A minha história no Palmeiras tem sido fazer história com estes jogadores, aqui e agora. A história é rica, faz parte do passado, mas quem vive da história é o museu. Quem ganham são os jogadores, aqui e agora. Os detalhes do plano não vou dizer, porque isso são os segredos da profissão. Esta equipa já provou que, aqui e agora, com estes jogadores, não com passado, mas no presente, pode escrever história."

Final: "Quanto mais pensar sobre o que vai acontecer na final, mais se esquece o que fazer no jogo. Os jogadores precisam de calma e tranquilidade, a certeza do que fazer. Isto passo aos meus jogadores, eles estão preparados. A tática é 30% do jogo. Os outros 70% vem da capacidade de lidar com momentos de tensão. E, quando penso neles, vem-me gratidão, de agradecer por estar aqui. Estou grato por estar aqui. O resultado é consequência do que fizermos em campo. Quero que cada jogador seja fiel ao seu jogo e jogue de forma coletiva. Só peço isso. Se isso acontecer, o nosso propósito, no fim, vai-se cumprir."