Deteção automática de fora de jogo no Mundial'2022? Ideia está em discussão

Deteção automática de fora de jogo no Mundial'2022? Ideia está em discussão
Redação

Diretor francês da FIFA, num programa online do organismo, avançou e justificou a possibilidade de implementar um sistema inovador para evitar perdas de tempo

Arsène Wenger, o atual diretor de desenvolvimento global da FIFA, admitiu, esta quinta-feira, num programa digital do organismo gestor do futebol a nível mundial, que o próximo Campeonato do Mundo terá um sistema de deteção automática de foras de jogo.

"Penso que o detetor automatizado dos foras de jogo estará pronto para [o Mundial] 2022. Automaticamente, será enviado um sinal imediato ao árbitro auxiliar, que terá um relógio com uma luz vermelha, que lhe transmite se existe ou não fora de jogo em determinado lance", afirmou o antigo treinador francês.

Arsène Wenger justifica a eventual implementação de um método totalmente inovador de deteção de posições irregulares em campo com a demora da tomada de decisão, por vezes, do videoárbitro.

"Atualmente, espera-se, em média, um minuto, mas por vezes ultrapassa o minuto e meio ou mais se o lance for de difícil avaliação. Este sistema pretende colocar à disposição os fora de jogo automáticos, com a informação a chegar diretamente ao árbitro auxiliar", explicou o diretor da FIFA.

A FIFA já havia, recorde-se, testado o sistema semiautomático de deteção de fora de jogo no Mundial de Clubes de 2019. O Campeonato do Mundo de 2022 vai realizar-se no Catar entre os dias 21 de novembro e 18 de dezembro.