Valdiram: drogas, álcool e telemóvel roubado

Valdiram: drogas, álcool e telemóvel roubado

Ex-jogador do Belenenses teve mais uma oportunidade, desta vez no Comercial, mas voltou a ser vencido pelo vício

Passou pelo Belenenses na temporada 2003/04 e hoje, com 31 anos, volta a ser notícia pelos piores motivos. Valdiram já jogou ao lado de Romário, brilhou no Vasco da Gama, mas não conseguiu marcar o golo mais importante da vida: livrar-se do álcool e das drogas.

Em plena cuva descendente, o avançado pediu uma chance no Comercial, clube do interior de Alagoas, teve a oportunidade, mas não a aproveitou. "O jogador foi avaliado quase um mês e o comportamento foi exemplar. Inclusive, ele disse que não bebia há dois anos e pediu-me para trocar a pensão onde estava hospedado pela concentração do Comercial, alegando estar muito perto de pessoas que bebiam. Entendemos e autorizámos a mudança. Fechámos contrato com o jogador na quarta-feira da semana passada e ele rebentou no treino de quinta. Chamou a atenção de todos que viram o trabalho, mas, após esse treino, ele desapareceu. Não treinou na sexta, faltou ao jogo de sábado e pedi a pessoas que tinham contato com o jogador para avisá-lo que seria dispensado. No domingo, ele foi à concentração buscar as coisas e levou um telemóvel de um jogador nosso", contou ao "Globoesporte" Flavius Flaubert, presidente do Comercial.

O dirigente acrescenta que Valdiram seria depois encontrado "em condições deploráveis" e que vendeu o telemóvel por 15 euros. "Havia no local velas e latas, que dão a entender que houve consumo de crack. É uma situação triste, que estou a expor porque todos em Viçosa ficarem a saber. É lamentável porque o jogador estava há dois anos longe das drogas e do álcool e trabalhou muito bem, jogando absurdamente. Não dá para acreditar nas jogadas que fez nos coletivos. O nível dele é muito alto. Infelizmente, essa foi uma recaída e ele precisa de ajuda, de tratamento", disse.