Tratador da águia da Lázio explica-se: "Foi um gesto militar, não fascista"

Tratador da águia da Lázio explica-se: "Foi um gesto militar, não fascista"
Redação

Juan Bernabé, ex-tratador da águia do Benfica, agora na Lázio, fez um gesto fascista no final do jogo com o Inter. O espanhol, no entanto, diz que se tratou de uma saudação militar.

A Lázio suspendeu, ontem, temporariamente o tratador da águia que simboliza a equipa, o espanhol Juan Barnabé, depois de este efetuar gestos fascistas na celebração de uma vitória.

O tratador surge num vídeo no Estádio Olímpico de Roma a celebrar a vitória diante do Inter de Milão (3-1), no sábado, efetuando a saudação nazi em direção aos adeptos da equipa romana e quando estes gritavam "duce", em alusão ao ditador italiano Benito Mussolini.

Esta quinta-feira, Bernabé defendeu-se das críticas, em declarações à agência italiana Adnkronos. "Lamento o que aconteceu, mas em Espanha a saudação fascista faz-se com o braço estendido, não assim como eu fiz. Sou de direita, apoio o Vox [partido espanhol de direita], mas não sou fascista. Isso não representa o que eu penso. Fiz o gesto no calor do momento, para celebrar a vitória. Foi um gesto militar, não fascista. Sou um homem que percorri muitos lugares, trabalhei com muita gente de todas as origens. Mas a vida é assim, há bons e maus momentos, e este é um dos maus", afirmou.