Toni Kroos adverte UEFA e FIFA: "Nem tudo tem de ser mais e mais dinheiro..."

Toni Kroos adverte UEFA e FIFA: "Nem tudo tem de ser mais e mais dinheiro..."
Redação

Médio alemão demonstrou reservas sobre a ideia da criação de uma Superliga Europeia e defendeu que os futebolistas devem ser parte ativa da discussão

Toni Kroos, médio do Real Madrid, assumiu-se contra a criação de novas competições de futebol pela sobrecarga competitiva e pelo aumento do fosso de capacidade competitiva entre os maiores e os menores clubes, numa entrevista ao podcast 'Einfach mal Luppen'.

O centrocampista alemão considerou que a Liga das Nações, competição lançada em 2018 e que teve Portugal como primeiro vencedor, e o Mundial de clubes que a FIFA pretende criar, "servem apenas para absorver economicamente e espremer fisicamente os jogadores" e defendeu "que deve ficar tudo como está".

Quanto ao hipotético surgimento da superliga europeia, prova elitista que servirá para reunir os mais poderosos clubes do Velho Continente, Kroos admitiu que, "do ponto de vista desportivo poderia ser interessante porque haveria jogos de alto nível", mas demonstrou reservas.

"A diferença entre os clubes grandes e os pequenos seria ainda maior. Nem sempre tudo tem de ser mais, mais rápido, mais e mais dinheiro...", referiu o médio do Real Madrid.

Toni Kroos também lamentou que as ideias e considerações dos próprios futebolistas não sejam tidos em conta no planeamento a longo prazo do futebol por parte das duas instituições que o regem a nível europeu e mundial.

"Lamentavelmente, não decidimos nada enquanto jogadores. Somos fantoches da UEFA e da FIFA. Se houvesse um sindicato de jogadores, não jogaríamos uma Liga das Nações, nem a Supertaça de Espanha na Arábia Saudita", atirou o alemão.