Tensão entre Mbappé e Neymar obriga à intervenção do PSG

Tensão entre Mbappé e Neymar obriga à intervenção do PSG
Alexandre Dionísio

A goleada aplicada ao Montpellier (5-2), no sábado, ficou marcada por um desentendimento entre ambos quanto ao marcador da segunda grande penalidade assinalada a favor do PSG.

Apesar da goleada caseira aplicada ao Montpellier (5-2), no sábado, em jogo da segunda jornada da Ligue 1, o clima no PSG tem estado muito longe de ser harmonioso, especialmente no que toca à relação entre Neymar e Kylian Mbappé.

Na partida, o extremo francês falhou uma grande penalidade aos 23 minutos e, depois de ter sido assinalado novo castigo máximo aos 43 minutos, tentou convencer Neymar a cobrá-lo, com o extremo brasileiro a recusar e a marcar a partir da marca dos 11 metros.

Mbappé, aos 69 minutos, também conseguiu inscrever o seu nome na lista de marcadores, mas a sua exibição ficou longe de ser perfeita, tendo inclusive sido criticado por uma atitude que teve num momento em que Vitinha tinha a bola nos pés.

Os rumores em torno de uma alegada tensão entre Neymar e Mbappé ganharam ainda mais força no dia seguinte à vitória, isto devido ao canarinho ter colocado um "like" numa publicação no Twitter que acusava Mbappé de ser "dono do PSG", graças à recente renovação de contrato que assinou.

Com este acumular de polémicas, o jornal francês L'Équipe avança esta segunda-feira que o PSG tem prevista uma reunião interna com os dois jogadores, onde Luís Campos, conselheiro para o futebol do clube, pretende acalmar a tensão entre ambos.

Renovação com o clube terá afastado Mbappé de Messi e Neymar

O L'Équipe acrescenta ainda que, desde que renovou com o PSG em maio passado, Kylian Mbappé já não tem a mesma proximidade com Lionel Messi e Neymar.

Uma das condições que o extremo francês exigiu para renovar foi ter uma maior influência nas decisões do clube, para além de um projeto que lhe permita competir pela conquista da Liga dos Campeões.

Os dois astros sul-americanos, por outro lado, não estão interessados em servirem de figuras secundárias a Mbappé, até porque nos dois jogos que fizeram sem o gaulês (recuperou de uma pequena lesão e falhou a Supertaça de França por castigo), o entendimento na frente de ataque foi bastante mais fluído.