"Tenho vontade de chorar, mas não nos vergamos"

"Tenho vontade de chorar, mas não nos vergamos"
Rafael Toucedo

Presidente da Atalanta, Antonio Percassi, emocionado pela forma como vê o seu povo a sofrer

O presidente da Atalanta, Antonio Percassi, concedeu uma entrevista à rádio RTL 102.5 para falar do impacto do coronavírus em Bérgamo, a cidade que mais sofre com a pandemia e em grande parte por causa da realização dos jogos entre o clube italiano e o Valência, para a Liga dos Campeões.

"Estou a viver isto mal, é uma tragédia incrível. Tenho vontade de chorar. Está a devastar a nossa geração mais bela. Temos oito trabalhadores da Atalanta infetados, é muito triste e duro e também está a afetar os mais jovens. É uma bomba na saúde pública, uma guerra mundial. As imagens dos camiões do exército a levar caixões à porta do cemitério de Bérgamo perdurarão para sempre nos nossos corações", comentou, emocionado.

"O clube tem uma química incrível com a cidade. Os nossos adeptos estão a ser incríveis. Esperemos que aquilo que conquistamos como clube lhes possa trazer um sorriso neste momento difícil. Nós, de Bérgamo, não nos vergamos. Estamos habituados a lutar, mesmo contra algo que nunca vimos", acrescentou, elegendo precisamente os jogos contra o Valência e a entrada nos oito melhores clubes da Liga dos Campeões como o momento mais alto da história do clube: "Foi uma vitória histórica".