"Tanque" Silva estava a fazer um tratamento para ter filhos e acusou doping

"Tanque" Silva estava a fazer um tratamento para ter filhos e acusou doping

Avançado que jogou em Portugal está suspenso na Argentina

Antigo avançado do Beira-Mar, o uruguaio "Tanque" Silva, de 38 anos, acusou excesso de testosterona num controlo antidoping efetuado em abril passado na Argentina, onde atuava ao serviço do Gimnasia y Esgrima de La Plata.

Agora ao serviço do Argentinos Juniors, Silva foi suspenso preventivamente pela federação argentina, arriscando um total de dois anos de suspensão.

Aos microfones da rádio La Red, o futebolista justificou-se com um tratamento de fertilidade que na altura estaria a fazer com o objetivo de ser pai pela segunda vez.

"Estava a tentar ter outro filho e por isso fiz um tratamento de fertilidade. Nunca tomei nada para melhorar o meu rendimento desportivo. Fiz o tratamento em janeiro e não havia nenhum problema, até porque tinha todos os documentos necessários. Mas depois houve um problema e os valores hormonais aumentaram", afirmou o avançado que em 2004/05 chegou a apontar oito golos na liga portuguesa.

Segundo afirmou o médico ​​​​​​​Luis Pintos, Director do Instituto de Medicina do Desporto e Reabilitação de Futebolistas Sindicalizados Argentinos, a testosterona não trará qualquer tipo de vantagem a curto prazo a um futebolista.

"A testosterona não é funcional nem necessária à atividade futebolística. Ninguém vai correr mais ou melhor por causa dela. Pode ser útil é em desportistas que usam a força, como os lançadores do martelo ou do peso", disse ao Clarín.

O Gimnasia já se descartou, afirmando que não estava ao corrente do tratamento que Silva estaria supostamente a fazer.