"Suspender o árbitro para salvar a CAN"

"Suspender o árbitro para salvar a CAN"

Selecionador da Tunísia, Georges Leekens, pede a suspensão do árbitro que marcou o penálti que ditou a eliminação, no sábado, da sua equipa da CAN'2015, perante a equipa do país organizador.

"Estou no futebol há 45 anos e nunca vi uma coisa destas. É um escândalo que vou recordar até ao fim da minha vida e não podemos aceitar uma decisão destas. Eu não quero ser beneficiado, mas antes do jogo perguntei se o árbitro era correto e honesto. Não podemos ser vítimas de uma pessoa desonesta. O jogador da Guiné Equatorial não foi tocado e o árbitro apontou logo para a marca da grande penalidade", desabafo do selecionador da Tunísia, cuja seleção foi eliminada, no sábado, da CAN pela Guiné Equatorial (2-1 após prolongamento). Leekens falava de um "penálti inaceitável" assinalado pelo árbitro Rajindraparsad Seechurn, das Ilhas Maurícias.

O treinador belga, em entrevista à agência AFP, pediu mesmo a suspensão do árbitro.

"Eu não sou uma pessoa negativa, bem pelo contrário, e esperamos que a CAN continue a ser uma festa. Contudo, este torneio não é apenas exibido em África, mas no mundo inteiro, que vai ver o que aconteceu connosco e, certamente, ficará com uma má imagem do futebol africano. Perdemos o primeiro jogo na competição devido a quê? A um árbitro! Estamos cá para jogar o melhor futebol, um futebol honesto. Não peço nada à CAF, apenas para ver a analisar. Não estou cá para destruir, mas sim construir. Apenas peço justiça. Há que suspender o árbitro para salvar a CAN".