"Superliga? Não é má ideia, acho que há potencial para fazer o projeto"

"Superliga? Não é má ideia, acho que há potencial para fazer o projeto"
Redação

Caíra no goto de líderes de vários clubes europeus - 12 assumiram a intenção de nela competir -, mas ainda não fora tão apoiada por um ex-atleta. Ronaldo, o "Fenómeno", saluta a prova restrita e defende realização de jogos de cartaz com maior ocorrência.

"A Superliga não é uma má ideia. Os adeptos querem ver jogos mais importantes. Os amantes do futebol, como nós, querem ver o Real Madrid jogar contra o Milan, o Inter, o Manchester City e o PSG sem ter que esperar por quartos ou semifinal", afirmou o antigo futebolista brasileiro, em declarações ao 'The Athletic".

Ronaldo, que representou Real, Barcelona - dois dos clubes fundadores da Superliga -, Inter e Milan, considerou que a contestação à prova concorrencial da Liga dos Campeões se deveu apenas a má comunicação e denota capacidade para ir avante.

"Vimos protestos contra a Superliga provavelmente porque estava mal explicada ou foi mal interpretada. Há potencial para fazer o projeto e acho que, num futuro, breve haverá inovações para clubes e adeptos", sustentou o ex-jogador brasileiro.

O "Fenómeno" frisou, ainda, que os clubes europeus se "devem unir para melhorar o produto" apresentado no Velho Continente e "proporcionar melhores jogos".

A Superliga Europeia fora anunciada em abril, mas não "sobreviveu" mais de 48 horas, dadas a contestação manifestada por políticos, governos, UEFA, FIFA, federações, treinadores, jogadores, clubes e adeptos.

Perante as críticas, Manchester City, Liverpool, Arsenal, Manchester United, Tottenham e Chelsea iniciaram a debandada do projeto da Superliga, seguindo-se Atlético de Madrid, Inter e Milan.

Porém, os presidentes de Barcelona, Real Madrid e Juventus - trio fundador - mantêm a consideração de que a Superliga é uma prova necessária para a sustentabilidade financeira dos clubes e que ainda haverá possibilidade de avançar.