Superliga: a mudança que os clubes ingleses sugeriram, mas que foi rejeitada

Superliga: a mudança que os clubes ingleses sugeriram, mas que foi rejeitada
Redação

Imprensa britânica revela novos detalhes sobre a prova que 12 clubes fundadores pretendiam lançar.

Há uma semana o mundo do futebol viu rebentar uma "bomba" chamada Superliga, com 12 clubes fundadores a anunciarem a intenção de criar a prova. Muitas críticas, ameaças e protestos depois, a ideia caiu por terra, isolando Real Madrid e Barcelona.

Ainda com o tema bem fresco, e também com muitas dúvidas sobre possíveis consequências para os clubes envolvidos, surgem novas informações em torno dos bastidores da Superliga. Conta o jornal Daily Mail que os seis clubes ingleses (Manchester United, City, Tottenham, Chelsea, Arsenal e Liverpool) tentaram convencer os restantes que o melhor seria passar os emblemas convidados de cinco para nove, alimentando a ideia de que a prova seria assim mais aberta. Uma sugestão que foi então rejeitada pelos restantes fundadores, mesmo perante a contestação que se fazia sentir.

Os promotores da Superliga pretendiam uma competição disputada por 20 clubes, 15 fundadores - apesar de terem sido anunciados apenas 12 -, aos quais se juntariam mais cinco. Arrancaria com dois grupos de 10 equipas e os jogos, em casa e fora, seriam realizados a meio da semana.

Milan, Inter, Juventus, Barcelona, Real Madrid e Atlético, além dos já citados clubes ingleses, estavam no projeto.