Saint-Étienne empata em casa, sob contestação crescente

Saint-Étienne empata em casa, sob contestação crescente
Lusa

Mesmo com o ponto somado, os verdes não saíram do último lugar, agora com cinco pontos, tantos quantos tem o Brest, que tem um jogo a menos e melhor diferença de golos.

A crise acentua-se no Saint-Étienne, atual lanterna-vermelha da Ligue 1, apesar do empate desta sexta-feira arrancado a ferros, ante o Angers, que subiu provisoriamente ao quarto lugar.

A contestação aos stéphanois sobe de tom e a receção ao Angers começou com uma hora de atraso, com os adeptos locais a causarem problemas ainda antes de começar o jogo, da 11.º jornada do campeonato, que terminou com 2-2 no marcador.

Durante longos minutos dominados no marcador, os anfitriões conseguiram chegar ao empate aos 90+4 minutos, por Mickael Nade. Antes, o Angers tinha chegado a uma vantagem de dois golos, através de Traoré (28) e Fulgini (56), e Khazri (61) iniciara a recuperação.

A principal claque do Saint-Ètienne está em greve ao apoio da equipa e os restantes adeptos entraram no campo imediatamente antes da hora prevista do jogo, utilizando tochas e outros objetos fumígenos. Já na fase de aquecimento tinham sido mostradas faixas contra o mau desempenho da equipa, criticando o treinador Claude Puel, dirigentes e jogadores.

Mesmo com o ponto somado, os verdes não saíram do último lugar, agora com cinco pontos, tantos quantos tem o Brest, que tem um jogo a menos e melhor diferença de golos.

Quanto ao Angers, atinge os 17 pontos, em igualdade com o terceiro posicionado, o Lyon, que tem igualmente um jogo a menos e melhor diferença de golos.