Robbie Rogers confessou homossexualidade e recebe apoio da equipa

Robbie Rogers confessou homossexualidade e recebe apoio da equipa

Internacional norte-americano acabou a carreira devido aos medos inerentes à sua sexualidade. E recebeu do Blatter e do seu clube nos EUA apoio pela decisão.

Aos 25 anos, Robbie Rogers, futebolista do Leeds cedido ao Stevenage, decidiu colocar colocar um ponto final na sua carreira e confessou a sua homossexualidade. "As coisas nunca são como parecem. Senti-me diferente toda a vida. Para superar os teus medos tens que ser forte e acreditar nos teus objetivos. Nos últimos 25 anos tive medo de mostrar o que realmente era por recear que tal me afastasse dos meus sonhos e aspirações. Tinha medo que os meus entes queridos se afastassem de mim se soubessem o meu segredo", escreveu Rogers no seu blog.

Internacional pelos Estados Unidos 18 vezes, é o segundo futebolista a admitir a sua homossexualidade, seguindo as pisadas de Justin Fashanu, que há 23 anos foi o primeiro a confessar as suas preferências sexuais.

"Sempre pensei que podia ocultar este segredo. O futebol era o meu escape, o meu objetivo, a minha identidade. O futebol ocultou o meu segrado e deu-me mais alegrias do que as que poderia ter imaginado... Agradecerei sempre a minha carreira", acrescentou.

Robbie Rogers contabiliza mais de 75 mil seguidores nas redes sociais, depois de ter representado o Columbus Crew, da Liga Americana de Futebol, antes de jogar na Europa. O passe do jogador pertence ao Seattle Sounders, da MLS, clube de divulgou um vídeo onde os jogadores revelam o apoio a Rogers.