Oficial: 12 clubes anunciam a Superliga Europeia

Oficial: 12 clubes anunciam a Superliga Europeia
Redação

Real Madrid, Barcelona, Atlético de Madrid, Manchester United, Liverpool, Arsenal, Chelsea, Tottenham, Manchester City, Inter, Milan e Juventus são os clubes fundadores da Superliga Europeia.

A Superliga Europeia está oficialmente criada. Os 12 clubes fundadores emitiram um comunicado, na noite deste domingo, a dar conta da criação da prova.

Real Madrid, Barcelona, Atlético de Madrid, Manchester United, Liverpool, Arsenal, Chelsea, Tottenham, Manchester City, Inter, Milan e Juventus são os emblemas que fazem parte do projeto.

Através de um comunicado, os clubes explicam a razão que leva à criação da Superliga, anunciando ainda a forma de disputa da prova.

Comunicado

"Doze dos melhores clubes de futebol da Europa anunciaram hoje que chegaram a um acordo para formar uma nova competição, a Superliga, governada pelos seus clubes fundadores.
AC Milan, Arsenal FC, Atlético de Madrid, Chelsea FC, FC Barcelona, FC Internazionale Milano, Juventus FC, Liverpool FC, Manchester City, Manchester United, Real Madrid CF e Tottenham Hotspur juntaram-se como Clubes Fundadores. Mais três clubes serão convidados a aderir antes do início da época inaugural, o mais cedo possível.

Olhando para o futuro, os Clubes Fundadores esperam manter conversações com a UEFA e a FIFA para encontrar as melhores soluções para a Super Liga e para o futebol mundial como um todo.

A criação da nova liga surge numa altura em que a pandemia global acelerou a instabilidade do atual modelo económico do futebol europeu. Durante anos, os Clubes Fundadores têm procurado melhorar a qualidade e intensidade das competições europeias existentes e, em particular, criar um torneio no qual os melhores clubes e jogadores possam competir uns contra os outros com maior frequência.

A pandemia revelou que é necessária uma visão estratégica e uma abordagem comercial para aumentar o valor e o apoio em benefício da pirâmide de futebol como um todo. Nos últimos meses, tem havido um intenso diálogo com os órgãos diretivos sobre o futuro formato das provas europeias. Os Clubes Fundadores acreditam que as soluções propostas pelos reguladores não resolvem as questões fundamentais, que são tanto a necessidade de oferecer jogos de maior qualidade como de obter recursos financeiros adicionais para todo o mundo do futebol.

Formato da competição


- 20 clubes irão participar, com os 15 clubes fundadores e cinco equipas adicionais qualificando-se anualmente com base no desempenho da época anterior;

- Todos os jogos serão disputados a meio da semana, com todos os clubes a continuarem a competir nas suas respetivas ligas domésticas, preservando assim o calendário tradicional que está no centro da vida do clube;

-A época começará em agosto com os clubes a participarem em dois grupos de dez, jogando em casa e fora; os três primeiros de cada grupo qualificar-se-ão automaticamente para os quartos-de-final. As equipas que terminarem em quarto e quinto lugar irão jogar um playoff a duas mãos. Posteriormente, serão disputados playoffs a duas mãos desde os quartos de final até à final, que será disputada em maio, num local neutro.

Logo que possível após o início da competição masculina, será lançada uma liga feminina, que contribuirá para o avanço e desenvolvimento do futebol feminino.

Este novo torneio anual proporcionará um crescimento financeiro significativamente maior, o que permitirá apoiar o futebol europeu através de um compromisso a longo prazo de que as atuais contribuições de solidariedade. Os prémios serão mais elevados do que os atualmente gerados pelo sistema de competição europeia e espera-se que excedam 10 mil milhões durante o período de compromisso dos Clubes. Além disso, a nova prova será construída com base em critérios de sustentabilidade financeira, uma vez que todos os clubes fundadores se comprometem a um quadro de despesas. Em troca do seu compromisso, os Clubes Fundadores receberão, coletivamente, um pagamento único de 3,5 mil milhões dedicado exclusivamente à realização de planos de investimento em infra-estruturas e à compensação do impacto da pandemia da COVID.

Florentino Perez, Presidente do Real Madrid CF e Presidente da Superliga, afirmou:

"Vamos ajudar o futebol a todos os níveis a ocupar o seu devido lugar no mundo. O futebol é o único desporto global no mundo com mais de 4 mil milhões de adeptos e a nossa responsabilidade como grandes clubes é responder aos desejos dos adeptos".

Apoiando a nova liga europeia, Andrea Agnelli, presidente da Juventus e vice-presidente da Superliga, afirmou:

"Os nossos 12 Clubes Fundadores representam milhares de milhões de adeptos em todo o mundo. Reunimo-nos neste momento crítico, para que a competição europeia possa ser transformada, dando ao desporto que amamos uma fundação sustentável para o futuro, aumentando substancialmente a solidariedade, e dando aos adeptos e jogadores amadores um sonho e jogos de alta qualidade que alimentarão a sua paixão pelo jogo."

Joel Glazer, co-presidente do Manchester United e vice-presidente da Superliga, disse:

"Ao reunir os melhores clubes e jogadores do mundo para jogarem uns contra os outros ao longo da época, a Super Liga abrirá um novo capítulo para o futebol europeu, assegurando uma competição de classe mundial e instalações para os melhores adeptos de futebol e jogadores amadores."