Messi vai mesmo a tribunal

Astro argentino responderá por fraude fiscal, acusado de delito contra as finanças espanholas no valor de cerca de 4,1 milhões de euros.

Um juiz de Barcelona considerou improcedente o recurso de Lionel Messi relativo à acusação de três delitos de fraude fiscal, entendendo que o avançado argentino poderia conhecer as atividades do pai, Jorge Horácio Messi, que é também o seu representante e responsável por toda a sua atividade económica. Por isso, o jogador dos catalães irá a tribunal responder à acusação de fuga ao fisco no valor de 4,1 milhões de euros, relativos às declarações do imposto de rendimento dos anos de 2007, 2008 e 2009.

O mesmo juiz recusou ainda a proposta de Messi de que três testemunhas - Alfonso Nebot, que trabalha para as empresas do jogador do Barcelona, Ángel Juárez, advogado, e Raúl Sanllehi, diretor da áera de gestão do futebol do Barcelona - pudessem prestar esclarecimentos, considerando que os mesmos não seriam pertinentes

Recorde-se que, já no passado mês de junho, o Ministério Público foi favorável ao arquivamento do processo contra Messi, por entender que não haveria indícios de qualquer crime cometido pelo jogador, mantendo, todavia, a acusação contra o pai. O juiz titular do caso recusou o arquivamento por considerar que o futebolista poderia ter "conhecido e consentido a criação de uma estrutura fictícia que tinha como única finalidade iludir o cumprimento das obrigações tributárias derivadas dos ganhos gerados pela exploração dos seus direitos de imagem".