Messi e o Barcelona: números impressionantes, grandes feitos e também polémica

Messi e o Barcelona: números impressionantes, grandes feitos e também polémica
Redação com Lusa

Barcelona anunciou o fim da ligação com o craque, que anteriormente já tinha demonstrado a vontade de mudar de ares... antes de recuar nessa intenção.

Lionel Messi despede-se do Barcelona depois de mais de 20 anos, com 672 golos, 778 jogos e 34 títulos na equipa principal.

No clube desde os 13 anos, Lionel Andrés Messi, agora com 34, tinha um acordo para assinar por mais cinco anos, até aos 39, mas o Barça adiantou que, apesar da vontade das partes, não será possível avançar com o mesmo e já se despediu do seu capitão.

Messi, que aterrou em La Masia, a escola de formação do Barcelona, em 2000, estreou-se oficialmente pela equipa principal em 2004/05, depois de, já no escalão sénior, disputar 10 jogos e cinco golos pelo Barcelona C, em 2003/04, e 22 encontros e seis tentos pelo Barcelona B, em 2003/04 e 2004/05.

Na equipa principal, o futebolista natural de Rosário, onde nasceu em 24 de junho de 1987, disputou 778 jogos, nos quais conseguiu 672 golos, dois registos ímpares na história do clube "culé".

Em 17 épocas, Messi arrebatou 34 títulos, 10 dos quais internacionais, com destaque para quatro edições da Liga dos Campeões (2005/06, 2008/09, 2010/11 e 2014/15), prova em que marcou 120 golos em 149 jogos.

Na sequência desses triunfos, o argentino conquistou por três vezes o Mundial de clubes (2009, 2011 e 2015) - com cinco golos em cinco jogos - e por outras tantas, e nos mesmos anos, a Supertaça Europeia, com três tentos em cinco encontros.

Messi soma ainda 10 vitórias na Liga espanhola, tendo sido o melhor marcador em oito ocasiões, para um total de 474 golos, em 520 jogos, sete na Taça do Rei (56 golos, em 80 jogos) e outros sete na Supertaça espanhola (14, em 20).

Ao longo de 17 anos no Barça, foram também inúmeros os prémios individuais que conquistou, sendo sido eleito por seis vezes o "Bola de Ouro", para o melhor jogador do ano, e conquistado por seis vezes a "Bota de Ouro", para o rei dos marcadores dos campeonatos europeus, feitos ímpares na história do futebol.

Em 2020/21, o argentino disputou 47 jogos pela equipa catalã, nos quais somou 38 golos e 10 assistências, numa época em que, coletivamente, venceu a Taça do Rei, numa final com o Atlético Bilbau (4-0) em que bisou.

Antes do arranque da temporada, Messi enviou um "burofax" ao Barcelona, manifestando a sua intenção de deixar o clube, mas, depois, acabou por recuar, deixando claro que jamais entraria numa guerra na justiça com o seu clube de sempre.

Entretanto, o anterior presidente Josep Maria Bartomeu saiu do clube, voltando Joan Laporta, ao ganhar as eleições realizadas em 07 de março de 2021, sendo que um dos seus principais desafios era garantir a manutenção do futebolista argentino.

As partes chegaram a acordo, mas, por questões financeiras, o mesmo não vai para a frente, numa altura em que Messi já está em Barcelona, depois de um período de férias, após conquistar o seu primeiro título pela seleção principal da argentina, a Copa América, na final com o Brasil (1-0), em pleno Maracanã.

Caso não aconteça uma reviravolta, o jogo de 16 de maio de 2021, a derrota caseira com o Celta de Vigo, para a 33.ª jornada da Liga espanhola 2020/21, entra na história como o 778.º e último jogo de Messi pelo FC Barcelona, selado com o 672.º e último golo.