Três penáltis, Nélson Semedo e golo 700 de Messi no empate entre Barça e Atlético

Três penáltis, Nélson Semedo e golo 700 de Messi no empate entre Barça e Atlético
Redação com Lusa

O astro chegou de penálti, com uma cobrança à Panenka, à sétima centena de golos.

O Barcelona e o Atlético de Madrid empataram esta terça-feira a duas bolas em Camp Nou, em partida da 33.ª jornada da Liga espanhola, em que o argentino Lionel Messi apontou o 700.º golo da carreira.

O astro chegou de penálti, com uma cobrança à Panenka, à sétima centena de golos marcados em jogos competitivos, entre clube e seleção nacional, quando fazia, aos 50 minutos, o 2-1 para o Barça.

Ainda assim, o encontro significou o terceiro empate nos últimos quatro jogos para os "culés", que podem ver o Real Madrid disparar na liderança, podendo chegar aos quatro pontos de vantagem em caso de vitória na quinta-feira, na receção ao vizinho Getafe.

Com Nelson Semedo no onze da equipa da casa e João Félix no banco da equipa de Madrid, foi a formação de Quique Setién a chegar ao primeiro golo, num autogolo de Diego Costa, com um toque após livre de Messi, aos 11 minutos.

Depois, uma grande penalidade falhada por Diego Costa transformou-se numa grande penalidade convertida por Saúl, aos 19 minutos, depois de o árbitro ter visto o guarda-redes alemão Ter Stegen, que tinha defendido a primeira tentativa, adiantado nesse momento, ordenando a repetição do lance.

No segundo tempo, o brasileiro ex-FC Porto Felipe fez falta sobre Nelson Semedo, abrindo a possibilidade para Messi chegar à marca "redonda' na carreira, e ao 22.º golo em La Liga esta temporada.

Dez minutos depois, o defesa luso acabou por "dar' nova grande penalidade, a terceira do encontro, aos "colchoneros", com Ñíguez a bisar aos 62.

João Félix entrou sete minutos depois mas não conseguiu quebrar a igualdade, à semelhança do francês Griezmann e de Ansu Fati, na equipa da casa, e o empate deixa o Barça vulnerável na luta pela revalidação do título e o "Atleti", que somou o 20.º jogo sem vencer o FC Barcelona, exposto no terceiro lugar, com 59 pontos, já distante dos dois primeiros.

O Sevilha aproximou-se da equipa de Diego Simeone ao vencer por 3-0 em casa do Leganés, com o ex-FC Porto Oliver Torres em destaque, com um "bis" aos 23 e aos 35, antes de Munir fechar as contas aos 82, sem que Rony Lopes tenha saído do banco nos sevilhanos, à semelhança de Kevin Rodrigues na equipa da casa.

A formação do também ex-dragão Julen Lopetegui segue em quarto, com 57 pontos, agora a dois dos "colchoneros", enquanto o Leganés é 19.º e penúltimo, com 25 pontos e já a nove da permanência.

Antes, o Celta de Vigo saiu goleado da visita ao Maiorca, primeiro clube abaixo da "linha de água', e viu os rivais aproximarem-se na luta pela permanência, tendo agora cinco pontos, em vez de oito, de vantagem.

Os maiorquinos chegaram à vantagem gorda com dois tentos do croata Budimir, aos 13 de penálti e aos 52, além de Cucho (27), Pozo (40) e do veterano Salva Sevilla (60), de nada valendo o tento de penálti de Iago Aspas, aos 50.