Malcom com receção hostil no Zenit: "A ausência de jogadores negros é uma tradição importante"

Malcom com receção hostil no Zenit: "A ausência de jogadores negros é uma tradição importante"

Avançado brasileiro foi contratado ao Barcelona por 40 milhões de euros.

A estreia de Malcom com a camisola do Zenit ficou marcada pelos piores motivos, devido a uma tarja colocada nas bancadas por uma falange de adeptos do clube de São Petersburgo.

Durante a partida com o Krasnodar - adversário do FC Porto na Champions -, foi possível ler-se a seguinte frase: "Obrigado direção pela lealdade às tradições". A mensagem era irónica, uma vez que fazia alusão a um extenso manifesto publicado na internet por adeptos, no qual consta uma secção intitulada "O Zenit e os jogadores negros".

"Não somos racistas e, para nós, a ausência de jogadores negros é uma tradição importante, que enfatiza a identidade do clube e nada mais. Nós, como o clube mais a norte das grandes cidades europeias, nunca estivemos mentalmente ligados a África, assim como com a América do Sul, Austrália ou Oceânia. Não temos nada contra os habitantes desses países e de outros continentes, mas, ao mesmo tempo, queremos jogadores que seja espiritualmente próximos ao Zenit", pode ler-se no texto.

Malcom, recorde-se, custou 40 milhões de euros aos cofres dos campeões russos. O internacional brasileiro atuava no Barcelona.