Lionel Messi aceitou baixar 50 por cento do salário para continuar no Barcelona

Lionel Messi aceitou baixar 50 por cento do salário para continuar no Barcelona
Redação com Lusa

"O que disseram, de que pedi 30% a mais, é mentira", disse o craque argentino.

O argentino Lionel Messi despediu-se este domingo do Barcelona, 21 anos depois, numa cerimónia em Camp Nou em que não conseguiu evitar chorar, muitas vezes, confessando estar a viver um momento "muito difícil".

"Não estava preparado para isso, pensava que ia continuar em casa", confessou o futebolista de 34 anos, acrescentando ter feito "tudo o que era possível para continuar", numa altura em que não tem "nada fechado" em relação ao futuro.

Messi lembrou que "chegou um miúdo, com 13 anos" e que sai "21 anos depois com a mulher, três filhos catalães-argentinos", deixando claro: "Não podia estar mais orgulhoso de tudo o que fiz aqui e de certeza que vou voltar".

O argentino chegou muito emocionado ao Auditório 1899 do Nou Camp e, antes de conseguir dizer as primeiras palavras, esteve vários minutos a chorar.

"Bons dias. Não sei se consigo falar. Estive a pensar nestes dias, dando voltas a ver o que podia dizer, mas estava bloqueado e continuo. Isto é muito difícil para mim, depois de toda uma vida. Não estava preparado", frisou Messi.

O argentino disse que estava preparado para sair há um ano, que então "sabia o que tinha de dizer", quando, em conflito com o anterior presidente, enviou um "burofax" para o clube a anunciar a saída, mas que "este ano não".

"Estávamos convencidos de que íamos continuar aqui, em casa, eu era o que queríamos. Sempre colocámos em primeiro lugar o nosso bem-estar, estar em nossa casa e desfrutar da vida em Barcelona, que é maravilhosa", explicou.

O seis vezes Bola de Ouro e outras tantas Bota de Ouro fez questão de agradecer "tudo o que viveu", nomeadamente ao Barcelona, no qual disse ter estado sempre "com humildade e respeito, por todos".

"Vivi aqui grandes momentos, também maus, mas todos eles me fizeram crescer e ser quem sou hoje. Dei tudo por este clube, por esta camisola, do primeiro dia ao último", frisou Messi, que tinha acordo para uma renovação do contrato com o Barcelona por cinco anos, no qual iria "baixar o salário em 50%". "Já havia diminuído 50% do meu salário. O que disseram, de que pedi 30% a mais, é mentira. Muitas coisas que dizem não são verdade", disse.

O internacional albi-celeste também fez questão de deixar uma palavras aos adeptos do conjunto "culé": "Queria agradecer o carinho das pessoas, mas gostaria de me ter despedido de outra fora, não assim. Gostaria de o ter feito perante as pessoas, no campo, poder escutar o último carinho do público".

"Custou muito neste tempo de pandemia não ter o público por perto, o apoio ao festejar, escutar uma ovação. Retiro-me deste clube sem isso", lamentou, acrescentando: "As coisas aconteceram assim, mas agradeço o carinho de todos estes anos, que foi o mesmo, nos bons e nos maus momentos por que passámos".

Messi deixou claro que sentiu sempre "o reconhecimento e o amor" dos adeptos e disse esperar "voltar algum dia para fazer parte do clube" e "contribuir com algo para o que clube continue a ser o melhor do Mundo".

Numa cerimónia em que recebeu enorme ovação da plateia, que incluía o plantel do Barcelona 2021/22, após as primeiras palavras e depois de responder às perguntas dos jornalistas, o argentino também abordou o futuro.

Apesar do "balde de água fria" que foi a não concretização do acordo que tinha para mais cinco anos, algo "triste e duro", Messi não deixou dúvidas: "A minha intenção foi ficar. Não foi possível e agora tenho de procurar o meu caminho e continuar a ganhar".

"As pessoas do Barça conhecem-me, sabem que quero continuar a competir. Se continuasse, iria continuar a lutar por ganhar tudo e entenderão que queira continuar a somar títulos. Felicito o Dani [Alves] pela medalha olímpica ir quero ir atrás [do seu recorde de títulos], pois estou perto", garantiu.

Entre os objetivos está a Champions, que ganhou por quatro vezes no Barcelona: "Voltar a ganhar a Champions será um dos meus objetivos".

"Não sei quanto tempo me resta, depende de como me sentir fisicamente. Graças a Deus, não tive lesões graves na minha carreira - "deixa-me tocar na madeira". Até que der, vou tentar", disse Messi, dizendo que o PSG "é uma possibilidade" e que "há vários interessados, mas nada fechado".

O argentino, que venceu seis vezes a Bola de Ouro e outras tantas a Bota de Ouro, vai mudar pela primeira vez de clube, aos 34 anos, depois de 672 golos, 778 jogos e 34 títulos na equipa principal dos catalães.

Messi, que chegou ao 'Barça' quando tinha 13 anos, estreou-se pela equipa principal em 2004/05 e, em 17 épocas, arrebatou, entre outros troféus, quatro Liga dos Campeões e 10 ligas espanholas.