Liga italiana vai ser a primeira a introduzir fora de jogo semiautomático

Liga italiana vai ser a primeira a introduzir fora de jogo semiautomático
Redação com Lusa

O objetivo é conseguir maior precisão na tomada de decisões e reduzir o tempo de cada revisão.

A Liga italiana vai ser a primeira a introduzir o sistema de deteção de fora de jogo semiautomático, já a 4 de janeiro, no regresso da prova após a pausa para o Mundial'2022, anunciou esta sexta-feira a entidade.

"Estamos preparados para aplicar em Itália, como no Mundial, o fora de jogo semiautomático, e já no reinício do campeonato a 4 de janeiro", avançou à estação televisiva RAI Lorenzo Casini, presidente da Liga italiana.

Assim, a Serie A vai ser a primeira Liga a nível mundial a introduzir este sistema que funciona com entre 10 e 12 câmaras instaladas na parte superior dos estádios, que rastreiam com maior exatidão a posição dos jogadores e das suas extremidades, pernas e braços, no campo de jogo.

Os dados recolhidos, extraídos de até 29 pontos diferentes, são enviados para a sala do videoárbitro (VAR), encarregada de rever os lances de possível fora de jogo e de alertar o árbitro principal em caso de posição irregular.

O objetivo é conseguir maior precisão na tomada de decisões e reduzir o tempo de cada revisão.

"Depois do fracasso de Itália na classificação para o Mundial, como Liga temos o dever de propor reformas em todos os âmbitos, por exemplo, melhorando o videoárbitro (VAR) e os tempos efetivos de jogo", lançou Lorenzo Casini.

A Serie A acelerou os processos para implementar este sistema após o encontro entre Juventus e Salernitana, em 11 de setembro, no qual o VAR cometeu um erro ao invalidar um golo legal à formação de Turim já no tempo de desconto, quando a partida estava empatada a dois golos.