Itália prepara várias homenagens a Maradona nos jogos da jornada

Itália prepara várias homenagens a Maradona nos jogos da jornada
Redação com Lusa

A Série A anunciou uma série de medidas para recordar Maradona, estando, entre elas, o fazer tocar a música "Life is Life" durante o aquecimento das equipas, que celebrizou um... aquecimento do astro argentino

A Liga italiana de futebol (Serie A) anunciou esta sexta-feira uma série de iniciativas nos jogos da nona jornada do principal escalão, em homenagem ao argentino Diego Armando Maradona, que morreu na quarta-feira, aos 60 anos.

Os jogadores vão utilizar um fumo negro no braço e, antes do início de todas as partidas, será respeitado um minuto de silêncio, com os atletas a juntarem-se no centro do relvado.

Durante esse minuto será projetada uma imagem de Diego Maradona nos ecrãs dos estádios, enquanto nas bancadas - despidas de público devido à pandemia de covid-19 - será exibida uma tarja com a mensagem "ciao Diego" [adeus, Diego].

Quando for atingido o 10.º minuto de todos os jogos, a imagem de Maradona será novamente exibida nos ecrãs dos estádios, em alusão ao número que 'El Pibe' mais utilizou nas costas e com o qual se notabilizou.

No período de aquecimento, vai também ser exibido o célebre vídeo do aquecimento de Maradona em 1989, quando estava ao serviço do Nápoles. Antes do jogo da primeira mão das meias-finais da Taça UEFA (conquistada pelos napolitanos), com o Bayern de Munique, o antigo internacional argentino recriou-se durante largos minutos com a bola, em total harmonia e sincronização com a música "Life is life", da banda austríaca Opus, que ecoava no Estádio San Paolo.

Recorde-se que Diego Armando Maradona representou o Nápoles durante sete temporadas, entre 1984 e 1991, tornando-se no maior ídolo dos adeptos napolitanos, que continuam a venerar o antigo craque argentino. Nesse período, El Pibe ajudou o Nápoles a conquistar os dois únicos títulos de campeão da história do clube (1987 e 1990), além de uma Taça UEFA (1989), uma Taça de Itália (1987) e uma Supertaça italiana (1990).

Maradona, considerado um dos melhores futebolistas da história, morreu na quarta-feira, aos 60 anos. Segundo a imprensa argentina, Maradona, que treinava os argentinos do Gimnasia de La Plata, sofreu uma paragem cardíaca na vivenda que tinha em Tigre, na província de Buenos Aires.

O Presidente argentino, Alberto Fernández, decretou três dias de luto nacional pela morte de Maradona.