Investigação da La Liga não encontra provas de insulto racista de Cala a Diakhaby

Investigação da La Liga não encontra provas de insulto racista de Cala a Diakhaby
Redação

Defesa do Valência saiu em protesto do jogo contra o Cádiz, no passado domingo, por uma suposta discriminação racial feita pelo adversário andaluz

A investigação ao caso de eventual ato racista praticado por Cala (Cádiz) contra Diakhaby (Valência), iniciado na passada segunda-feira pela La Liga, para apurar factos em concreto, não culminou com a obtenção de provas, noticia a Imprensa espanhola.

O organismo gestor do futebol profissional de Espanha, refere o jornal AS, ordenou a análise exaustiva de áudios e imagens recolhidas da partida do referido momento no jogo entre Cádiz e Valência, assim como a leitura labial do próprio jogador do Cádiz.

Todavia, o relatório apresentado à direção da La Liga apenas refere que as palavras e/ou expressões detetadas foram "merda", "deixa-me em paz" e "desculpa, não te irrites", pelo que não há indício de um insulto racista proferido pelo acusado Cala.

Assim, o processo de investigação encomendado pela La Liga, ao incidente que obrigou à interrupção do jogo Cádiz-Valência durante vários minutos e à saída de Diakhaby do relvado, por alegada discriminação racial, deverá ser concluído nas próximas horas.

O juiz do encontro recolheu também aos balneários do Estádio Ramón de Carranza, em Cádiz, assim como a própria equipa da casa, mas a partida da mais recente jornada da La Liga, realizada no passado domingo, seria retomada mais tarde.

No final do desafio da La Liga, o treinador do emblema da região da Andaluzia revelou que o defesa central Cala, substituído ao intervalo dado o contexto, lhe garantira que não dirigira insultos racistas a Diakhaby.