Premium ZOOM - #ObrigadoMister Leonardo Jardim ou a dignidade de um adeus

ZOOM - #ObrigadoMister Leonardo Jardim ou a dignidade de um adeus
Antonio Barroso

O Mónaco deixou Leonardo Jardim, mas as gentes do principado, do clube, os internacionais franceses e os de todo o Mundo que foram por ele dirigidos não parecem dispostos a deixá-lo. Em menos de 24 horas, sucederam-se as publicações de agradecimento e louvor ao treinador português, que quinta-feira rescindiu contrato o emblema monegasco, administrado por um magnata russo. O próprio Mónaco criou uma hashtag - #ObrigadoMister - que se tornou viral.

Gosto de apreciar os derrotados com o mesmo foco que os vitoriosos. Acho até que, no final dos jogos, devia haver sinais interativos nas televisões para acompanhar os festejos e as desilusões, dar a ambos o mesmo tempo de antena. Não sou masoquista, apenas acho que a dor e a desilusão têm um encanto especial, desde que mostradas de forma não pornográfica ou gratuita no que diz respeito a valores e ao bom senso. Isto para dizer que me recordo bem da fugaz imagem do príncipe Alberto, do Mónaco, a abandonar o camarote bem antes do último apito na final da Champions de 2004, perdida contra o FC Porto.