"Na última meia hora jogava com muitas dores, quase a chorar", recorda ex-Benfica

"Na última meia hora jogava com muitas dores, quase a chorar", recorda ex-Benfica

Siqueira terminou a carreira aos 32 anos com um problema no tornozelo.

Guilherme Siqueira é o exemplo de como as lesões podem ser um fardo para um jogador de futebol. O antigo lateral do Benfica terminou a carreira aos 32 anos depois de vestir a camisola do Valência nas temporadas 2015/16 e 2016/17. As dores no tornozelo eram insuportáveis.

"Sempre fui muito tranquilo, alegre, com um sorriso, mas os meus dias no Valência era muito complicados. Com muita dor, tratamento, para chegar ao fim de semana. Nunca sabia como estaria. Sempre ao minuto 60, quando jogava a titular, começava a doer demasiado. Na última meia hora jogava sempre com muitas dores, quase a chorar. A lesão impediu-me de ter um rendimento importante", contou, recordando o início da lesão.

"Foi em 2004, uma fratura grave. Em 11 anos não tive problemas, mas no Atlético, depois de um jogo da Taça, frente ao Hospitalet, num relvado artificial, começou a doer-me o tornozelo. Fiz testes e percebemos que havia um problema de cartilagem", disse, em entrevista ao jornal espanhol "As".

Siqueira jogou no Benfica na temporada 2013/14, depois de representar o Granada. Voltou a Espanha, contratado pelo Atlético, antes do Valência. Ganhou o campeonato, Taça de Portugal e Taça da Liga em Portugal.