Internacional congolês acusado de roubo numa loja por confusão da gerente

Internacional congolês acusado de roubo numa loja por confusão da gerente

Ndongala joga no Genk, que vai disputar a fase de grupos da Liga dos Campeões

O internacional congolês Dieumerci Ndongala foi confundido com um ladrão devido às suas caraterísticas estéticas e físicas.

Ndongala tinha ido fazer compras a uma loja da H&M na pequena vila belga de Vilvorde quando, a certa altura, foi acusado de estar a roubar roupa.

Interpelado por dois polícias, o futebolista acabou por ser libertado depois de esclarecida a confusão.

Foi o próprio a contar o sucedido: "Eu paguei as minhas compras e depois dois polícias mandaram-me parar porque supostamente eu teria roubado algo. Revistaram o meu saco das compras. A gerente da loja chegou e eu perguntei-lhe se ela me tinha visto a roubar alguma coisa. Ela disse que não, mas que tinham visto várias etiquetas de alarme arrancadas da roupa e espalhadas no chão da loja e que pensaram que tinha sido eu. Foi uma grande humilhação, estou extremamente indignado", explicou Ndongala, que alegadamente terá sido acusado por ser negro e ter um aspeto irreverente, com um penteado em que se destacam as longas tranças.

"Só quero ir fazer as minhas compras tranquilamente ou jantar tranquilamente num restaurante sem que me chateiem", disse.

A gerente da loja acabou por pedir desculpa pela confusão, assim como a própria marca H&M.

Ndongala joga no Genk, que vai disputar a fase de grupos da Liga dos Campeões. Tem 28 anos.