"Eleven Sports? Não me parece uma preocupação de grande monta para a Sport TV"

"Eleven Sports? Não me parece uma preocupação de grande monta para a Sport TV"

A Eleven Sports prepara-se para entrar no mercado português

O presidente executivo da Sport TV, Nuno Ferreira Pires, considerou, em entrevista à Lusa, que a "concorrência saudável" é boa para o setor em Portugal, pelo que dá "as boas-vindas" à Eleven Sports em Portugal.

Questionado sobre a entrada de um novo concorrente no mercado - a Eleven Sports - que tem os direitos de transmissão da Champions [Liga dos Campeões] e da Liga Espanhola, o gestor disse que "concorrência saudável é sempre bom para qualquer setor".

Nesse sentido, "damos as boas-vindas à Eleven Sports em Portugal", afirmou, salientando que este é "um fenómeno ao qual" a Sport TV estará atenta.

"Mas não me parece um fenómeno de enorme preocupação", considerou.

"Não estou preocupado, estou saudavelmente preocupado", afirmou Nuno Ferreira Pires, que salientou que apontou a experiência de 20 anos da Sport TV, a sua aposta na inovação e em conteúdos como fatores distintivos da empresa.

"Não me parece do vimos até agora que seja uma preocupação de grande monta para a Sport TV. A Sport TV continua a estar muito tranquila com a sua oferta, nós temos 55 mil horas de programação ao longo do ano, penso que a Eleven, daquilo que temos lido, anuncia que vai ter perto de 3.000 horas", comentou o gestor, que assumiu as "rédeas" da empresa portuguesa de canais desportivos por subscrição.

Questionado sobre o facto da Sport TV não ter a Champions, o presidente executivo disse: "Não vou esconder que a Champions League é um produto importante e porque continua a ser uma grande competição europeia".

Mas, "do nosso ponto de vista, e por alguma razão os próprios canais em sinal aberto, chamados FTA RTP, SIC e TVI, não foram ao primeiro bid [leilão]", recordou, apontando que "os valores, em especial para um país como Portugal", com a falta de escala, "começam a ser muito pesados para os broadcasters [televisões]".

No entanto, a Sport TV, garantiu, fez tudo o que podia para conseguir os direitos de transmissão da Liga dos Campeões de futebol, mas nem tudo está perdido, já que a Liga Europa é uma grande aposta da Sport TV esta temporada.

"Não temos a Champions, mas temos mais uma vez por opção uma coisa que nos parece que este ano vai ter um valor muito, muito maior, que é a Liga Europa. A UEFA, que tem estas duas competições, a Liga Europa e a Champions League, prejudicou muito o território português nas condições de acesso das equipas à Champions e favoreceu bastante a Liga Europa, disse.

"Houve aqui uma troca de acesso. O que quero dizer com isto é que existe garantidamente mais equipas portuguesas a disputarem a Liga Europa do que equipas portuguesas que eventualmente possam vir a disputar a Champions League", prosseguiu, acrescentando: "No nosso entender, os minutos de visionamento de uma Liga Europa na próxima época desportiva tem um valor incomensurável maior à Champions para os portugueses".

Além disso, lembrou que, com Cristiano Ronaldo na Juventus, os clientes da Sport TV vão acompanhar de maneira diferente a Liga Italiana, o que é um ativo para a empresa.

"Temos muita consciência que a partir do momento em que está presente o Cristiano, o tempo de visionamento do conteúdo vai multiplicar por vários" múltiplos, acrescentou.

Questionado sobre a possibilidade de haver uma redução dos preços de subscrição dos serviços da Sport TV, tendo em conta que não tem a oferta da Champions, Nuno Ferreira Pires afastou o cenário.

"Quando eu tenho 70% do meu parque de subscritores que atualmente paga o valor mais alto de subscrição [os valores mais altos de subscrição são os clientes que veem em alta definição, em vários dispositivos] (...), isso significa que os clientes de facto estão em média tranquilos com aquilo que a Sport TV hoje tem como oferta", considerou.

"Não tenho qualquer dúvida que qualquer português a fazer as contas, olhando para as 55 mil horas de programação, as modalidades que nós damos, para os 2.000 jogos que damos, e para tudo aquilo que é o nosso conteúdo no próximo ano estarão tão ou mais tranquilos que já estavam os nossos clientes com o valor que nós cobramos na Sport TV", concluiu.