China responde à controvérsia e chama árbitros estrangeiros

China responde à controvérsia e chama árbitros estrangeiros

Um juiz da Suécia e outro francês vão dirigir dois encontros da Super Liga Chinesa

As arbitragens no futebol chinês têm provocado muita discussão e controvérsia no país. Em julho, num encontro da segunda divisão, quatro árbitros foram atacados depois de uma grande penalidade assinalada no tempo de compensação - sete minutos.

Em resposta, a Associação de Futebol da China decidiu trazer dois árbitros estrangeiros. O sueco Jonas Eriksson vai dirigir o encontro entre o Tiajin Quanjian e o Shadong Luneng, enquanto o francês Tony Chapron foi escolhido para a partida que coloca frente a frente o Shanghai Shenhua e o Tianjin Teda.

"Melhorar as capacidades dos árbitros é uma parte importante da Associação Chinesa de Futebol. Convidar árbitros estrangeiros de alto nível vai melhorar a arbitragem em jogos decisivos e providenciar aos árbitros chineses a oportunidade de aprender e trocar experiências", pode ler-se num comunicado do organismo.