Barcelona utilizou jogador de forma irregular, mas não tem castigo: eis a explicação

Barcelona utilizou jogador de forma irregular, mas não tem castigo: eis a explicação

Federação Espanhola de Futebol (RFEF) reconheceu a utilização irregular pelo Barcelona do jogador Chumi na Taça do Rei.

A Federação Espanhola de Futebol (RFEF) reconheceu a utilização irregular pelo Barcelona do jogador Chumi, nos 'oitavos' da Taça do Rei, mas descartou qualquer punição, porque o Levante apresentou queixa fora do prazo.

"A reivindicação do Levante deve ser negada devido à sua extemporaneidade. Em nenhum caso, portanto, se irá proceder à imposição de uma sanção que altere o resultado do jogo", pode ler-se numa resolução pública assinada pela juíza do Comité de Competição da RFEF, Carmen Pérez, que não é passível de recurso.

O defesa Juan Brandáriz, mais conhecido por Chumi, foi titular na visita do Barcelona ao terreno do Levante, em 10 de janeiro, da primeira mão dos oitavos de final da Taça do Rei, que os valencianos venceram por 2-1, tendo sido substituído aos 58 minutos, um dia depois de receber ordem de suspensão por acumulação de cartões amarelos ao serviço da equipa filial dos catalães.

Na semana seguinte, quando já era conhecido o caso, o campeão espanhol derrotou em casa o Levante, por 3-0, virando a seu favor a eliminatória. Nos cinco dias posteriores, os 'granotes' apresentaram uma queixa na RFEF, que o organismo federativo inicialmente rejeitou, por ter sido apresentada fora de prazo, mas empurraram o processo até ao Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) espanhol, que ordenou a reabertura do caso.

O Barcelona permaneceu na Taça do Rei e qualificou-se para a final, que disputará frente ao Valência, em 25 de maio, no estádio Benito Villamarín, em Sevilha, procurando revalidar o título pela quinta vez consecutiva.