Andy Goram, histórico guarda-redes do Rangers, morre aos 58 anos

Andy Goram, histórico guarda-redes do Rangers, morre aos 58 anos
Redação

Andy Goram tinha cancro e recusou tratamento.

O Rangers comunicou este sábado a morte de Andy Goram, antigo guarda-redes e lenda do clube, aos 58 anos.

O escocês tinha sido diagnosticado nos últimos meses com um cancro inoperável no esófago e recusou os tratamentos de quimioterapia.

"O Rangers está profundamente triste por anunciar a morte do nosso lendário guarda-redes Andy Goram, na sequência de uma curta batalha contra um cancro. Os pensamentos de diretores, staff e jogadores estão hoje com a sua família, e gostaríamos de pedir que a sua privacidade fosse respeitada. Mais detalhes serão comunicados na devida altura", lê-se no comunicado oficial no site da formação escocesa.

43 vezes internacional, foi diagnosticado em maio com um cancro em fase terminal, com uma esperança de vida muita curta, e o antigo jogador optou por não efetuar tratamentos de quimioterapia, que, segundo o próprio, lhe dariam pouco mais tempo e sem qualidade de vida.

Enquanto jogador, Goram representou o Oldam Athletic, o Hibernian, o Rangers, o Notts County, o Sheffield United, o Motherwell, o Manchester United, pelo qual foi campeão inglês, o Coventry City, o Queen of the South e o Elgin City.

Com o Rangers, foi seis vezes campeão da Escócia, numa carreira em que competiu nos Europeus de 1992 e 1996, além de também ter jogado críquete ao mais alto nível, igualmente pela seleção da Escócia, entre 1989 e 1991.