Garay, ex-Benfica, anuncia ponto final na carreira após três anos de calvário

Garay, ex-Benfica, anuncia ponto final na carreira após três anos de calvário
Redação

Argentino publicou esta sexta-feira um comunicado nas redes sociais anunciando o ponto final no percurso enquanto futebolista.

Ezequiel Garay, que passou pelo Benfica, anunciou esta sexta-feira o ponto final na carreira. Através de um comunicado colocado nas redes sociais, o agora ex-central argentino lamenta os problemas físicos que enfrentou nos últimos três anos e admite que pensava que esteve momento chegaria mais tarde.

"E o momento chegou. Hoje, despeço-me da minha carreira como jogador profissional de futebol. Gostava e estava convencido de que me retiraria mais tarde, mas não pode ser", informou o central, num longo texto, no qual revelou o calvário por que tem passado desde 2018.

Garay, que estava sem clube desde que deixou o Valência, em 2020, confessou que "desde há três anos" que tem "lutado e tentado solucionar um problema que surgiu inesperadamente", uma artrose na anca esquerda, que lhe tem provocado "dores fortíssimas" e o "impediu de caminhar em algumas ocasiões".

Depois de ter recuperado de uma rotura dos ligamentos cruzados do joelho direito sofrida em fevereiro do ano passado e de ter terminado contrato com o Valência, o ex-internacional argentino chegou a "negociar com vários clubes para voltar a jogar", mas acabou por desistir, tendo em conta que "provavelmente, perderia dois em cada três jogos", devido ao problema físico de que padece.

Na publicação, o defesa manifestou-se "orgulhoso" por tudo o que fez durante a carreira e agradeceu a todos os clubes por que passou, bem como à seleção da Argentina, a qual representou em 32 ocasiões, inclusive sendo chamado para o Mundial2014 e para duas edições da Copa América, em 2011 e 2015.

Pela albiceleste, conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim2008. "El Negro", como era conhecido, iniciou a carreira profissional em 2005, ao serviço do Newell"s Old Boys, clube no qual se formou e de onde rumou a Espanha, para alinhar pelo Racing de Santander (2005 a 2009) e, depois, pelo Real Madrid (2009 a 2011). Seguiram-se três temporadas ao serviço do Benfica, entre 2011 e 2014, que culminaram com a conquista de um campeonato, uma Taça de Portugal e duas taças da Liga, antes de duas épocas nos russos do Zenit (2014 a 2016) e quatro no Valência (2016 a 2020).

Pelos encarnados, disputou duas finais consecutivas da Liga Europa, perdidas para o Chelsea (2012/13, em Amesterdão) e o Sevilha (2013/14, em Turim).