"Foi uma bomba. Deixei o CSA, acabei o contrato com o FC Porto e fiquei sem nada"

"Foi uma bomba. Deixei o CSA, acabei o contrato com o FC Porto e fiquei sem nada"
Redação

Walter lembra dificuldades vividas, pelos dois anos de suspensão por doping.

Walter, suspenso desde 2018 por doping, assinou por três meses com o Athletico Paranaense e falou das dificuldades passadas.

"A minha mãe passou um sufoco muito grande. Os clubes querem tirar 25 por cento dos salários e alguns jogadores já se queixam... Imagina eu, sem receber nada durante dois anos. Tenho quatro famílias que dependem de mim e sem salários foi muito difícil. Foi uma bomba. Deixei o CSA, acabei o contrato com o FC Porto... fiquei sem nada", revela o ex-avançado portista, em entrevista ao "GloboEsporte", confidenciando que teve de jogar no futebol amador para conseguir um salário, baixo, mas a forma de sustento possível.

Quanto ao doping, salienta que só tomou "um remédio" porque lhe "disseram que podia tomar", referindo que "acordou" e passou a "dar valor à família e aos amigos." O contrato com o Furacão é válido até 6 de agosto de 2020, mas a suspensão por doping só termina no dia 5 de julho. Se o futebol voltar, Walter terá um mês para provar o seu valor.