Escutas telefónicas tramaram Robinho no processo de violência sexual

Escutas telefónicas tramaram Robinho no processo de violência sexual
Redação

Processo de violência sexual envolveu o jogador e mais cinco brasileiros, cuja vítima foi uma mulher de origem albanesa. O ex-internacional brasileiro apanhou nove anos de cadeia, mas recorreu da sentença

As escutas às conversas telefónicas entre Robinho e amigos foram cruciais para a sentença que o condenou a nove anos de prisão por "violência sexual de grupo" contra uma mulher albanesa, revelou hoje a Imprensa brasileira.

A investigação da polícia italiana passou a pente fino os contactos entre o antigo jogador do Milan e vários amigos, alguns envolvidos na violação da rapariga, na madrugada de 22 de janeiro de 2013. A sentença foi ditada pelo Tribunal de Milão, em novembro de 2017, mas ainda não transitou em julgado, pois a defesa de Robinho e de Ricardo Falco, outro acusado brasileiro no crime, recorreram para a Corte de Apelo de Milão, que pegará no caso a partir de 10 de dezembro.

O caso teve lugar, segundo o acórdão da justiça italiana, num estabelecimento milanês de diversão noturna, chamado Sio Café e, além dos dois citados, envolveu mais quatro brasileiros, sobre quem decorre um procedimento judicial à parte, por terem deixado a Itália em plena investigação. A procuradoria de Milão classificou o ato de violência sexual.

Em 2014, num interrogatório, Robinho negou a acusação, admitindo que teve uma relação sexual - sexo oral - com a vítima, mas que fora consentida e sem outros envolvidos. Mas uma perícia detetou vestígios de sémen de Ricardo Falco no vestido da mulher.

Na reconstituição, a vítima contou que foi ao local na referida data para celebrar o seu aniversário e que terá sido agredida sexualmente nos camarins do músico Jairo Chagas, dado com não envolvido no caso. A descrição dos acontecimentos revela que a rapariga estaria embriagada quando se dirigiu para os camarins com um dos acusados, aparecendo Robinho depois.

As conversas intercetadas pelos investigadores italianos confirmaram os comportamentos criminosos dos vários envolvidos. Algumas dessas conversas, que constam dos documentos da sentença, foram reproduzidas pelo Globo Esporte, do Brasil.