Eriksen está em risco de não poder jogar em Itália

Eriksen está em risco de não poder jogar em Itália
Redação

FIGC impede que futebolistas atuem em competições italianas com um dispositivo cardíaco para quebra de arritmias instalado

Francesco Braconaro, membro da Federação Italiana de Futebol, assumiu que o médio do Inter, Christian Eriksen, vítima de uma paragem cardiorrespiratória no Euro'2020, não poderá atuar no futebol italiano se mantiver um desfibrilhador posto no coração.

"Nessas condições, o Eriksen não terá autorização para jogar. Isso só poderá acontecer se a patologia do jogador for resolvida e o respetivo desfibrilhador for retirado. Caso isso se verifique, então poderá jogar no Inter", disse, esta quinta-feira, o elemento do comité científico da FIGC, à rádio Kiss Kiss.

O médio da Dinamarca causou, em 12 de junho, um momento de verdadeira aflição e apreensão, na última edição do Campeonato da Europa, ao cair inanimado durante o jogo entre os dinamarqueses e a Finlândia, no Estádio Parken, em Copenhaga, sendo socorrido de imediato e estabilizado num hospital local.

Cerca de uma semana depois, a Federação Dinamarquesa de Futebol anunciou que o futebolista do Inter, de 29 anos, seria alvo de uma operação cirúrgica para implantação de um desfibrilhador cardíaco, "necessário face aos distúrbios no ritmo cardíaco".

O dispositivo tem pequenas dimensões, é composto por uma bateria longa, com 10 ou 11 anos de autonomia e, em função do elétrodo inerente, é capaz de atuar para interromper grande parte de arritmias, não sendo sequer percetível pelo utilizador.