Derrota com o Brighton acentuou críticas: "Ainda bem que Ronaldo não saiu mais cedo"

Derrota com o Brighton acentuou críticas: "Ainda bem que Ronaldo não saiu mais cedo"
Alexandre Dionísio

O Manchester United, com Ronaldo a sair do banco na segunda parte, foi derrotado em casa pelo Brighton (1-2), na primeira jornada da Premier League.

No domingo, o Manchester United iniciou a sua caminhada na edição de 2022/23 da Premier League da pior forma, com uma derrota em casa (1-2) com o Brighton.

O desaire acentuou as críticas em relação aos red devils no mercado de verão (Tyrell Malacia, Christian Eriksen e Lisandro Martínez são os únicos reforços até ao momento), com Gary Neville, lenda do clube, a salientar que exibições como esta não ajudam a que eventuais novas caras queiram rumar a Old Trafford.

"A primeira coisa que fazes quando o Manchester United liga é recusar a oferta, porque a realidade é que, depois de ter perdido aquele com jogo, eles passaram a negociar de uma posição ainda pior do que a que estavam no sábado, isso é um problema ainda maior [do que a derrota]", considerou o antigo lateral, em declarações à Sky Sports.

Bruno Fernandes e Diogo Dalot foram titulares na derrota do United, sendo que Cristiano Ronaldo saiu do banco de suplentes na segunda parte, não conseguindo evitar o desaire. Sobre o astro português, cujo futuro continua envolto em incerteza, Roy Keane, outro nome com peso na história dos red devils, optou pela ironia, ainda que tenha mostrado confiança numa subida de qualidade da equipa com a chegada de mais reforços.

"De momento, não dirias que o United é favorito para terminar no top-4, mas se eles conseguirem fechar alguns negócios, passarão a ter matéria suficiente no balneário para competir na Premier League. Ronaldo? Ainda bem que não saiu cedo", ironizou.

Recorde-se que, no único particular que disputou na pré-época dos red devils, diante dos espanhóis do Rayo Vallecano, o astro português foi substituído ao intervalo e foi visto a sair de Old Trafford ainda antes do final da partida, uma atitude que motivou críticas do treinador Erik ten Hag.

O técnico neerlandês, após o fim da partida com o Brighton, admitiu que o seu cargo "é um trabalho dos diabos", uma vez que não existe espaço para a equipa "aprender com os erros", devido à necessidade de resultados imediatos.