Copa América: Brasil ganha aos 90+10' dando a volta a golaço de Luis Díaz

Copa América: Brasil ganha aos 90+10' dando a volta a golaço de Luis Díaz
Redação com Lusa

Jogador do FC Porto marcou um grande golo, mas os canarinhos bateram a Colômbia por 2-1.

Um golo de Casemiro, aos 90+10 minutos, permitiu quarta-feira ao Brasil manter-se na senda das vitórias, face à Colômbia (2-1), num jogo da Copa América "iniciado" com um golão de Luis Díaz.

Aos 10 minutos, o jogador do FC Porto inaugurou o marcador com um espetacular pontapé de "moinho", dentro da área, depois de um cruzamento da direita de Cuadrado, num golo que só não levantou as bancadas porque estas estavam vazias, culpa da covid-19.

Na despedida da fase de grupos, a melhor Colômbia foi conseguindo arrastar a vantagem, mas acabou por cair quase na última jogada, depois de o Brasil ter consentido a igualdade aos 78 minutos, numa jogada muito polémica.

Neymar acertou com a bola no árbitro argentino Nestor Pitana, que fez menção de parar o jogo, mas, depois, mandou continuar, com a bola a seguir para o centro da esquerda de Renan Lodi para o cabeceamento certeiro de Roberto Firmino, com ajuda de Ospina.

Os colombianos cercaram, de imediato, o árbitro e estiveram muitos minutos a protestar, antes e depois de este confirmar o golo, após informação do VAR.

Este foi o motivo de a compensação ter ultrapassado os 10 minutos, com Casemiro, quase na última jogada, aos 90+10, a dar a melhor sequência, de cabeça, a um canto marcado na direita pelo incansável Neymar.

Num jogo em que, como é habitual, sofreu inúmeras faltas, o jogador do PSG teve várias oportunidades de marcar antes do tento de Firmino, mas não chegou a um bom centro, aos 54 minutos, atirou ao lado, aos 57, e ao poste esquerdo, aos 66.

Na formação colombiana, os portistas Luis Díaz (saiu aos 90+1 minutos) e Uribe foram titulares, enquanto, nos brasileiros, o benfiquista Everton entrou aos 77, numa altura em que os "cafeteros" ainda lideravam.

Com este resultado, o Brasil somou o 10.º triunfo consecutivo e 11.º em jogos oficiais, sendo que ganharam todos os jogos depois de só terem superado o Paraguai nos "quartos" da Copa América de 2019 no desempate por penáltis (4-3, após 0-0), em 27 de junho.

A vitória valeu também ao conjunto de Tite garantir, prematuramente, a vitória no Grupo B, ao passar a somar nove pontos, contra quatro da Colômbia, que perdeu o seu quarto jogo, mas, mesmo assim, garantiu um lugar nos quartos de final.

Em aberto, para a quinta ronda, no domingo, estão dois lugares, com o Peru (quatro pontos) e defrontar a Venezuela (dois), do treinador português José Peseiro, e o Equador (dois) a defrontar os canarinhos. Os golos podem vir a desempatar.

No primeiro encontro da ronda, o Peru empatou a dois golos com o Equador, depois de chegar ao intervalo a perder por 2-0, dando um passo importante rumo aos quartos de final.

Em Goiânia, a formação equatoriana, que somava apenas um ponto em dois jogos (0-1 com a Colômbia e 2-2 com a Venezuela), começou da melhor forma, adiantando-se aos 23 minutos, num autogolo de Renato Tapia, após centro da esquerda de Pervis Estupiñán.

Os equatorianos ainda aumentaram a vantagem antes do intervalo, já nos descontos, aos 45+3 minutos, com um tento de Ayrton Preciado, o seu segundo na prova, ao desviar na pequena área um livre da direita apontado por Damián Diaz.

O Peru, que se tinha estrado com um 0-4 com o Brasil e depois bateu a Colômbia por 2-1, reagiu, no entanto, no início da segunda parte e, num ápice, chegou à igualdade.

A principal figura foi Gianluca Lapadula, que reduziu aos 49 minutos, com um remate de pé esquerdo na área, depois de um passe de Christian Cueva, e assistiu André Carrillo, ex-jogador do Sporting e Benfica, para o empate, aos 54.