Canadá vai participar no Mundial do Catar munido de uma espada

Canadá vai participar no Mundial do Catar munido de uma espada
Redação

Espada contém a mensagem "Fear Nothing" (Nada a temer) escrita em latim

Após uma longa ausência de 36 anos, o Canadá vai voltar a marcar presença num Campeonato do Mundo e, ao que tudo indica, irá para o Catar munido de uma espada.

A seleção de Eustáquio, médio do FC Porto, começou a fazer hábito de trazer uma espada para os jogos como um símbolo de força. A ideia é de que em todos os estádios que visite fiquem deslumbrados com a qualidade de jogo da equipa, tornando esses territórios, figurativamente, no "Novo Canadá", segundo John Herdman, selecionador.

"Eu disse aos rapazes que sempre tivemos um escudo. Mas criámos uma espada e a espada diz 'Nihil timendum est', que significa 'Nada a temer' [em latim]. E isso é o 'Novo Canadá', isso é o estilo que queremos implementar. Ela [espada] entra em cada estádio para simbolizar que vamos conquistar aquele terreno e torná-lo no 'Novo Canadá'", explicou o técnico, após a vitória, no domingo, do Canadá sobre a Jamaica (4-0), que selou a segunda presença canadiana de sempre num Mundial, após a única participação no México'86.

A tradição em volta da espada, escondida ao público até domingo, foi interrompida na semana passada, na visita à Costa Rica, com o jornal local La Nación a ter revelado que o objeto ficou retido na alfândega devido a "regulamentos que determinam o tipo de armas que podem entrar" no país. Sem ela, a seleção canadiana acabou... derrotada (1-0), interrompendo uma sequencia vitoriosa de 17 jogos.

A espada foi depois devolvida ao Canadá, chegando a tempo de marcar presença no jogo com a Jamaica, que já mora na história da seleção norte-americana. Para o Mundial'2022, caso não aconteça o mesmo que na Costa Rica, o Canadá entrará no avião e o que não faltará na mala de viagem será certamente... a preciosa espada.