Boris Johnson foi contra a Superliga mas agora pedem-lhe explicações

Boris Johnson foi contra a Superliga mas agora pedem-lhe explicações
Redação

O primeiro-ministro britânico reuniu-se com o Manchester United antes do anúncio do projeto e o clube entendeu que Boris Johnson estava a favor da competição.

Boris Johnson foi uma das vozes mais críticas com a Superliga desde que, no domingo passado, os 12 clubes fundadores anunciaram, oficialmente, a intenção de avançar com a prova, entre eles, o "Big-Six" da Premier League.

"A Superliga podia atacar o coração das ligas nacionais e isso é preocupação dos adeptos do país todo. Os clubes envolvidos deveriam responder aos seus adeptos e à comunidade futebolística em geral, antes de tomar mais decisões", escreveu o primeiro-ministro britânico no Twitter.

No entanto, de acordo com o jornal britânico The Guardian, agora é Boris Johnson quem deve dar explicações sobre o seu posicionamento em relação ao projeto. O motivo? A informação partilhada pelo The Times, em que afirma que o primeiro-ministro teve uma reunião, dez dias antes da Superliga se formar, com Ed Woodward, onde nesse encontro o vice-presidente executivo do Manchester United ficou com a impressão de que o político era a favor do projeto.

Agora é o Partido Trabalhista que pede explicações a Boris Johnson: "De novo, a integridade de Boris Johnson está em dúvida. O público tem o direto de saber o que foi prometido ao Manchester United pelos responsáveis e pelo primeiro-ministro. Se Johnson apoiou a Superliga e logo deu as costas ao projeto, então o povo britânico merece uma completa, clara e imediata explicação e um pedido de desculpas", disse Jo Stevens, do Partido Trabalhista.