Benzema e o pedido de prisão em França: "Ele não pode ser condenado sem ter feito nada"

Benzema e o pedido de prisão em França: "Ele não pode ser condenado sem ter feito nada"
Redação com Lusa

Benzema "surpreendido e escandalizado" pela justiça francesa pedir a sua prisão.

O futebolista internacional francês Karim Benzema está "surpreendido e escandalizado" pelo facto de o ministério público gaulês pedir 10 meses de pena suspensa pela sua alegada cumplicidade na chantagem ao seu colega de seleção Mathieu Valbuena.

"O Benzema não pode ser condenado sem ter feito nada. O tribunal deve deixar de lado o espetáculo e concentrar-se na questão de fundo", criticou o seu advogado, Sylvain Coemier, após a segunda sessão do julgamento que decorre em Versalhes.

O ministério público francês pediu 10 meses de prisão com pena suspensa e 75.000 euros de multa no caso de alegada extorsão a Valbuena, com origem num vídeo íntimo do futebolista, atualmente com 37 anos e a jogar no Olympiacos.

Tudo terá começado quando, em 2015, Valbuena pediu a Axel Angot, residente em Marselha, para transferir artigos do seu telemóvel para um novo dispositivo, sendo que este encontrou imagens com conteúdo sexual, e, juntamente com Mustapha Zouaoui, teria ameaçado Valbuena de tornar o conteúdo público.

Para ter um intermediário, a dupla contactou Karim Zenati, amigo de infância de Benzema, atleta que posteriormente falou com Valbuena, tentando convencê-lo a falar com o seu conhecido - daí a vítima acreditar que o seu parceiro de seleção fazia parte do "complot".

Benzema é acusado de orientar o amigo sobre como este deveria negociar diretamente com Valbuena.

Em sua defesa, o jogador do Real Madrid, que ficou afastado da seleção desde 2015 até este ano, devido a este escândalo, garantiu, na altura, que apenas "queria ajudar um amigo sem causar dano a Valbuena".

Benzema alegou "compromissos profissionais" com o Real Madrid para ser o único dos cinco acusados que não está presente no tribunal.

"Mais tarde ou mais cedo, será absolvido destas acusações", confia o causídico, que lamentou o facto de a justiça francesa "ter procurado o espetáculo desde o início", ao invés de gerir o caso com "discrição".

O advogado insiste que "não há nenhuma prova factual ou jurídica" contra o seu cliente, considerando que a justiça quer fazer deste caso um exemplo pelo facto do réu ser famoso.

"A notoriedade de Benzema, segundo o procurador, deve permitir que ele seja condenado sem provas e solicitar penas mais severas do que para os demais", criticou.