Árbitro pontapeado no Brasil critica punição ao jogador: "Tinha que ser banido do futebol"

Árbitro pontapeado no Brasil critica punição ao jogador: "Tinha que ser banido do futebol"
Redação

William Ribeiro foi julgado pelo Tribunal de Justiça Desportiva, na segunda-feira, e está impedido de voltar aos relvados nos próximos dois anos. Rodrigo Crivellaro, o árbitro agredido pelo jogador condenado, criticou a decisão.

William Ribeiro, jogador do São Paulo-RS que agrediu o árbitro Rodrigo Crivellaro ao pontapé no jogo frente ao Guarani, da Série A2 do Campeonato Gaúcho, foi punido com a proibição de voltar aos relvados durante 730 dias, dois anos.

Nas redes sociais, o juiz da partida disputada a 4 de outubro, que ficou inconsciente depois do violento pontapé que sofreu por parte do atleta, criticou a decisão.

"É uma vergonha apenas dois anos de suspensão. Num lance em que eu podia ter morrido. Também sou pai de família, também não tenho dinheiro, como ele não tem, que foi a justificação [para não aumentar a pena]. Tinha que ser banido do futebol, porque eu podia ter perdido a minha vida. É uma vergonha a lei brasileira e a lei desportiva", referiu Rodrigo Crivellaro, citado pela imprensa brasileira.

William Ribeiro, de 30 anos, foi ouvido no julgamento na Primeira Comissão Disciplinar do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio Grande do Sul (TJD-RS), tendo-se mostrado "bastante arrependido" pelo que fez. "Não sei o que me deu. Estou até a procurar tratamento psicológico. Não me reconheço nesse ato, errei e estou bastante arrependido", disse em tribunal.

Recorde-se que o árbitro, de 29 anos, continua a recuperar em casa da lesão que sofreu na coluna.